Escrita

Escrita banner

Agentes federais e forças militares do Rio Grande do Norte encontraram, na madrugada desta sexta-feira (16), rastros que apontam para a rota de fuga dos detentos Rogério da Silva Mendonça, de 35 anos, e Deibson Cabral Nascimento, de 33 anos, que fugiram do presídio federal de Mossoró na madrugada da última quarta-feira (14). Conforme informado pelo 2º Batalhão da Polícia Militar (2 BPM), foram encontradas duas camisas, uma rede e rastros de sapatilhas, semelhantes as usadas pelos internos no presídio federal.

O rastro, segundo o 2º BPM, foi encontrado nas imediações da Serra Mossoró, que também está próxima da localidade de Rancho da Caça, onde uma casa foi furtada na manhã da última quinta-feira (crime do qual os foragidos são suspeitos).

Não há, até a publicação desta matéria, a constatação de que o rastro pertence a Rogério da Silva e Deibson Cabral. Porém, o resultado da diligência corrobora com a hipótese das forças federais, a qual conclui que os criminosos permanecem se deslocando nas imediações da cidade do Oeste potiguar. Segundo o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, as autoridades acreditam que os fugitivos estão em um perímetro de 15 quilômetros de distância do presídio, na zona rural.

Deibson, conhecido como “Tatu”, estava preso desde agosto de 2015, já tendo passado também pelo presídio federal de Catanduva. Ele tem condenações e responde por assaltos, furtos, roubos homicídio e latrocínio. Rogério, que também tem vasta ficha criminal, também cumpria pena no Acre, quando foi determinada sua transferência para o Rio Grande do Norte. Ambos são apontados como líderes de organização criminosa.

Os dois estavam na penitenciária de Mossoró desde setembro do ano passado e estavam em isolamento. Informações preliminares e extraoficiais dão conta de os criminosos teriam ligação à facção criminosa Comando Vermelho.

As buscas seguem durante o dia. Helicópteros, drones e cerca de 300 policias atuam para capturar os suspeitos. Por meio de um helicóptero a Polícia Militar do Ceará também auxilia nas buscas.

Tribuna do Norte



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Cacim