Uma carta prestes a ser enviada ao arcebispo italiano Giambattista Diquatro, atual Núncio Apostólico no Brasil, não deixa pedra sobre pedra em alguns dos mais importantes órgãos da Igreja Católica no Rio Grande do Norte.

Nela, o seminarista Djalma Feliciano Ferreira Júnior, natural de Brejinho, na região agreste do estado e que há nove anos se prepara para ser padre, faz gravíssimas denúncias de importunação, assédio sexual e perseguição que teriam sido praticadas por algumas das mais altas autoridades da Igreja Católica no estado.

Entre os denunciados estão o arcebispo metropolitano, dom Jaime Vieira Rocha, o reitor do Seminário São Pedro, padre José Valquimar Nogueira, o vigário-geral da Arquidiocese de Natal, padre Paulo Henrique da Silva e outros integrantes do clero.

As denúncias de Djalma Junior remontam a 2016 e prosseguem até o fim do ano passado, quando ele foi avisado de que não seria ordenado padre.

O arcebispo é descrito por Djalma como capaz de praticar assédio sexual por diversos meios. Pessoalmente, na residência episcopal (casa do arcebispo), em reunião dentro da Cúria, em eventos da Igreja e até por mensagens via aplicativo Whatsapp.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Gustavo Negreiros, Djalma Júnior diz que o vigário-geral da Arquidiocese foi “a mente maligna e pivô de tudo” e o padre Valquimar, reitor do Seminário São Pedro foi “conivente”.

O padre Paulo Henrique é acusado pelo seminarista de manter relacionamento amoroso com uma funcionária da Cúria Metropolitana, a administração central da igreja na capital.

O outro lado

Os padres da Arquidiocese de Natal emitiram uma nota diante as acusações feitas pelo ex-seminarista Djalma Feliciano. No comunicado, é dito que as denúncias feitas contra o Arcebispo são falsas.

Confira na íntegra:

Diante das últimas ventanias que sopram fortemente sobre a Igreja de Natal e ultimamente sobre o seu pastor, nosso Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha, nós, padres desta Igreja Particular, gostaríamos de expressar nosso apoio e amizade filial.

Dom Jaime, desde quando chegou a essa Porção do povo de Deus há 10 anos, sempre expressou sua acolhida a todos, inclusive aos presbíteros e diáconos, e fomentou, de maneira clara, seu desejo de formar padres que enfrentem a realidade que os envolvem, dando uma prioridade particular aos sem voz e sem vez da sociedade, no estar perto e na atenção ao escutar. Presente na vida formativa dos nossos seminaristas, defensor de padres comprometidos com a verdade, que amassem a Igreja e que também sofressem por ela, quando necessário.

Sabemos que na missão, os sofrimentos são inerentes, até pelo fato de estarmos com Cristo, pregados na Cruz e por Ele fomos libertos e restaurados; a sua Cruz nos “trouxe vida nova” (Jo 3,13-17). Desta maneira, o nosso Arcebispo, Dom Jaime, diante das falsas acusações que lhe foram dirigidas por um ex-seminarista, coloca-se de prontidão à atender aquilo que a Igreja, enquanto Mãe e Formadora, apresenta como proposta de formação.

Da mesma maneira, a equipe de formadores do Seminário de São Pedro segue rigorosamente as suas orientações diante daquilo que a própria Igreja propõe, não se dobrando a certas insinuações ou pontos de vista que estão em desacordo com aquilo que é a real proposta para formar os nossos sacerdotes. Por isso, reafirmamos que estamos em união com o nosso Pastor e com todo o presbitério de Natal e disponíveis também, para que tudo possa ser esclarecido e que nada possa pairar a nível de dúvida e desconfiança sobre a idoneidade dos nossos pastores.

Padres da Arquidiocese de Natal

Blog do BG


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem