Banner

OCULUM 600 120

 

Foto: ALRN

Os deputados estaduais Adjuto Dias (MDB) e Isolda Dantas (PT) discutiram durante sessão plenária sobre a engorda da praia de Ponta Negra na terça-feira 9, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN).

Durante sua fala sobre os conflitos entre a Prefeitura de Natal e o Idema acerca os documentos ambientais para dar início às obras da engorda, a deputada Isolda criticou a presença do prefeito de Natal, Álvaro Dias (Republicanos), no protesto em frente ao Instituto na manhã de segunda-feira (8).

“Ontem, o vandalismo tomou de conta da cabeça do prefeito de Natal, que juntou-se com os vereadores, com deputado federal, com cargo comissionado e derrubaram o portão do Idema. Desde quando isso é postura de alguém que quer construir o caminho para construir uma obra? O que a gente assistiu ontem aqui foi um absurdo. Se fosse o MST, estava todo mundo aqui chamando de bandido, de invasores, de irresponsáveis. Pois bem, o prefeito de Natal balançando o portão. Isso é postura de prefeito?”

Em seguida, Adjuto pediu direito de resposta e os dois começaram a discutir. “Isolda podia se candidatar a presidente, que ela mandava aqui no plenário”, disse o deputado. Em seguida, Isolda afirmou que a negação do pedido de resposta seguia as regras do regimento. “Leia o regimento, porque em horário de orador não tem debate”.

A discussão se estendeu quando o deputado afirmou que não estava entrando em debate e apontou que Isolda citou a prefeitura, até a deputada questioná-lo se ele era o prefeito. “Mas estou aqui como deputado para defender. Então você pode falar da prefeitura, porque você não vai falar do Governo do Estado?”, rebateu Adjuto.

Em seguida, o deputado pediu para Isolda citar quais obras de engorda feitas no país tiveram impacto ambiental e ressaltou os mais de 50 questionamentos feitos pelo Idema para a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra). “Porque a engorda da praia de Copacabana foi feita há mais de 40 anos. A praia linda, recebe turistas de todo o mundo, não tem um dano ambiental ali. Balneário Camboriú foi feito, Praia de Iracema, em Fortaleza, foi feito. São mais de nove engordas feitas no Brasil todo. Em nenhum desses locais teve o tanto de questionamento que foi feito aqui”, comentou.

Por fim, ele criticou a lentidão do processo por parte do órgão para o início da obra. “É mais de um ano esse processo parado lá e você quer dizer que não tem cunho político nisso? O Morro do Careca está morrendo, a população lá está prejudicada, o Morro do Careca é o maior cartão postal que a gente tem, é símbolo da cidade de Natal, vamos parar de politicagem”.

Agora RN




Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA