Banner

OCULUM 600 120

Quarto maior reservatório de água do Rio Grande do Norte, a barragem de Poço Branco voltou a transbordar nesta quinta-feira (27) após 15 anos, na região do Agreste potiguar. Segundo o Instituto de Gestão das Águas (Igarn), o açude tem capacidade de armazenar 136 milhões de metros cúbicos de água.

A última sangria do reservatório tinha acontecido em 2009. A água que sai do açude deverá percorrer o rio Ceará-Mirim e desaguar no mar em Extremoz. O cenário de fartura atraiu moradores do município e visitantes, já no início da manhã.

"Essa sangria é muito importante para a população. Nós temos 160 pescadores cadastrados, que vivem dessa barragem. Entre os agricultores, temos 16 km de extensão dentro de Poço Branco, onde mais de 400 famílias são beneficiadas, além da atrações de banhistas e visitantes", afirmou o secretário de agricultura do município, Mano Gás.

Para o aposentado José da Silva, mais conhecido como José Cacheado, que trabalhou na construção da barragem na década de 1960, o momento foi de emoção.

"A escavação da barragem foi feita toda através de jumentos, carregando barro pra fora. E depois de três anos a começou o trabalho da ensecadeira para depois fazer a parede principal", lembrou.

Membro do comitê da bacia hidrográfica do rio Ceará-Mirim, Pedro Venâncio relata que, na construção, a represa inundou a antiga cidade de Poço Branco e a cidade atual foi construída de forma planejada, inspirada em Brasília, que também estava em construção na época.

"Nossa barragem já foi a maior do Rio Grande do Norte. Hoje ela é a quarta mais e se a conclusão de Oiticica acontecer, a gente cai para a posição de quinta maior", disse.

A professora Sandra Ramos estava indo com o marido de Lagoa Salgada para João Câmara, mas desviou o caminho para conhecer a barragem.

"É lindo, muito grande a barragem. Os moradores estão encantados, há muito tempo não enchia. É benção de Deus. Água é benção", disse. 

G1/RN


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA