GOVERNO

640x128

 

A Câmara Municipal de Mossoró realizou audiência pública para debater a situação do estádio Nogueirão. A proposição foi do vereador Isaac da Casca, MDB. A Prefeitura de Mossoró não encaminhou nenhum representante para a discussão. Além dos parlamentares, participaram nomes ligados aos clubes mossoroenses, entidades de classe e torcedores.

“Mossoró é a única cidade do Brasil com mais de 200 mil habitantes que não tem um estádio apto a receber uma partida oficial de futebol”, afirmou o vereador Isaac da Casca.

O presidente do Baraúnas mencionou os problemas estruturais do estádio e os custos dos jogos em Assu, a partir da interdição do Nogueirão. “Hoje nós temos uma situação que se a gente não tomar uma medida vamos perder o gramado. Temos que tentar uma recuperação parcial do estádio, não pode ficar como está. Outro problema, temos que mandar os jogos em Assu. O estádio Edgarzão tem custos muitos elevados. Baraúnas, Potiguar, Liga Esportiva Assuense e FNF tiveram que gastar algo em torno de 15 mil reais para liberar o Edgarzão. Esse dinheiro poderia ter sido investido no Nogueirão”.

A Prefeitura encaminhou por meio da assessoria uma nota técnica que, segundo a Secretaria de Comunicação, foi enviada à Câmara. A Nota Técnica nº 01/2024  trata do projeto técnico para construção do novo estádio esportivo de Mossoró. O texto diz que o presidente da Comissão de Projeto Estratégico de Gestão, secretário Almir Mariano, concluiu o plano de necessidades para construção do novo estádio após discussão com diversas secretarias e representantes dos clubes mossoroenses Potiguar e Baraúnas. A Prefeitura diz ainda que vai realizar uma consulta pública online, que encerra no dia 15 de maio. A consulta está disponível no link: https://consultapublicaesporte.mossoro.rn.gov.br/

TCM Notícia



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA

GOVERNO