GOVERNO

640x128

 

O prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra (União) quebrou o silêncio e disse que “dá por encerrado” o caso da demissão, no dia 19, do advogado Kadson Eduardo de Freitas Alexandre do cargo de secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, pasta que chegou a acumular com a de secretário municipal de Cultura. “A partir do momento que tomamos conhecimento nós buscamos dar uma solução. De forma efetiva foi dada solução”, se pronunciou o prefeito sobre a condenação do auxiliar de sua proximidade.

“A oposição cumpre o que ela quer fazer e estou muito focado em trabalhar, acabou de ser divulgada uma pesquisa em Mossoró e sempre que é divulgada uma pesquisa, já espero que tenha essas questões”, minimizou o prefeito, com relação a decisão tomada pela bancada de oposição em acionar judicialmente o chefe do Executivo por crime de responsabilidade, em virtude de ter mantido Kadson Eduardo no primeiro escalão da gestão municipal durante 15 meses, depois de sentença condenatória transitada em julgado por falsidade ideológica, na Vara da Justiça Federal em Pau dos Ferros, região Oeste do Rio Grande do Norte.

Allyson Bezerra afirmou, por ocasião do lançamento da programação do “Mossoró Cidade Junina”, na manhã de terça-feira (23), no Sesc da avenida Rio Branco, em Natal, que “essa questão foi tratada de forma rápida e efetiva” com a exoneração publicada no “Diário Oficial do Município”.

“Encaro como uma situação já resolvida”, acrescentava Bezerra, que também informou que somente em julho vai tratar da escolha do candidato a vice-prefeito para a campanha de reeleição em 6 de outubro, embora destacasse ter fechado a filiação de 14 dos 23 vereadores mossoroenses ao seu partido – União Brasil, para a disputa do pleito proporcional com uma chapá de 22 pré-candidatos: “Isso nunca um partido politico do Estado fez, isso nunca um gestor fez, trazer a união de 14 vereadores com mandatos, seja em Natal, seja em Mossoró, seja onde for, para a disputa do pleito”.

Allyson Bezerra adiantou que devera contar com o apoio de pelo menos seis partidos, incluindo Solidariedade, PSDB, REDE e PSD) para tentar a reeleição. “Já conversei com todos, só vamos ter essa discussão próximo da convenção partidária, estamos focados em obra, o evento Sal e Luz, o Mossoró Cidade Junina”, repetiu.

Líder da oposição afirma que prefeito tenta esconder o caso

O líder da oposição na Câmara Municipal de Mossoró, vereador Tony Fernandes (Avante), rebate o posicionamento do prefeito Allyson Bezerra, dando por encerrado o episódio Kadson Eduardo, mantido em cargo comissionado após sofrer condenação transitada em julgado por falsificação de documento público.

“Ao contrário do que o prefeito fala, a situação não foi resolvida, porque ele deve responder por crime de responsabilidade por ter mantido um condenado criminalmente acumulando secretarias no município”, enfatizou Fernandes.

Para o vereador, o prefeito “tenta esconder tudo o que tem acontecido” na gestão de Mossoró, mas “a oposição não vai se intimidar” e vai cobrar pelos atos de ilegalidade que também foram praticados pelo ex-secretário enquanto esteve à frente das pastas do Planejamento e da Cultura.

“O prefeito não tem transparência com a gestão pública e nem tem zelo com o erário”, acusou Fernandes, citando que o MPRN já havia instaurado inquérito para apurar suposto superfaturamento em contratos do projeto “Estação Natal”.

Por coincidência, a portaria 5543871, da 19ª Promotoria do Patrimônio Público, assinada pelo promotor de justiça em substituição, Hermínio Souza Perez Júnior, foi publicada no “Diário Oficial do Estado”, no mesmo dia em que o “Diário Oficial do Município” publicou a demissão de Kadson.

A denúncia partiu do vereador Paulo Igo (MDB), acusando superfaturamento no contrato de empresa sediada em Goiânia-GO e outra em Parnamirim-RN para instalação e ornamentação natalina nos anos de 2021 a 2023. “Chama a atenção o preço por um vaso, tipo jardineira, no valor de R$ 24 a R$ 26, no comércio de Mossoró, mas que a Prefeitura teria pago R$ 790 por unidade”.

Paulo Igo já havia levado o caso ao plenári em 15 de março, o qual denunciou que na edição de 2021 do projeto “Estação das Artes”, a Prefeitura adquiriu 20 unidades do vaso ao preço unitário de R$ 235, totalizando uma despesa de R$ 4.700. No ano seguinte, em 2022, os mesmos vasos tiveram um valor unitário de R$ 790, e um gasto total de R$ 15.800.

Segundo a denúncia de Igo, em 2021, a prefeitura pagou R$ 1.006.998,88. Em 2022, foram pagos R$ 2.142.973,01 e em 2023, a decoração custou R$ 2.308.000,00.

Em 2021 e 2022 a gestão Allyson Bezerra contratou a Construtora São Bento Ltda., cujo CNPJ é 10.499.738/001-07, com sede à Avenida Guarujá, 740, Sala 01, Jardim Atlântico, Goiânia, capital de Goiás, distante 2.247 km de Mossoró. A decoração da “Estação Natal” de 2023 ficou a cargo da empresa Lux Energia, com CNPJ 32.185.141.001/0001-12, com sede à rua Dom Nivaldo Dantas, Emaús, Parnamirim/RN.

Tribuna do Norte


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA

GOVERNO