Banner

Print

 

Trinta caixas contendo filtros de água e freezers enviadas pelo governo brasileiro para a população de Gaza, que passa por uma crise humanitária causada pelos ataques de Israel, foram barradas pelo exército israelense e estão sem uso em um galpão na cidade egípcia de Rafah. Além do material do Brasil, também há 370 caixas com ajuda enviadas pela França, Arábia Saudita, Singapura, Alemanha, Kuwait e Itália.

A denúncia foi feita ao ICL Notícias pelo deputado italiano Angelo Bonelli, do partido Europa Verde, que foi à Rafah como observador da situação crítica que faz sofrer os civis palestinos.

“A 20 km do valico de Rafah, na entrada de Gaza, existe um depósito da Cruz Vermelha onde está armazenada a ajuda humanitária rejeitada pelo exército israelita”, acusa Bonelli.”Entre as ajudas rejeitadas estão medicamentos, insumos médicos, incubadoras e refrigeradores para alimentos. As autoridades israelitas rejeitam esses itens porque acreditam que são incompatíveis e perigosos para a segurança do Estado de Israel. Uma loucura”.

O próprio parlamentar fez as fotos e o vídeo que estão nesta reportagem. Ele diz que não são somente esses itens que as autoridades israelenses impedem de entrar.

“A situação é catastrófica, há 2.000 caminhões bloqueados há mais de um mês, que aguardam para poder entrar em Gaza e entregar ajuda humanitária”, relatou Bonelli ao ICL Notícias. Segundo o deputado, recentemente 12 crianças morreram de fome.

Deputado italiano Angelo Bonelli, entre caixas de ajuda humanitária no galpão em Rafah

Bonelli disse que fará um protesto formal ao governo italiano. “A ONU não pode fazer nada, o direito internacional não é respeitado aqui”, explica.

O portal ICL Notícias questionou o Ministério das Relações Exteriores do Brasil para que informe se tem ciência da situação e que providências pode tomar. Assim que houver resposta, será publicada neste espaço.

Por Chico Alves/ICL Notícias



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA