Banner

Print

 

Professores durante assembleia

Professores e professoras dos quatro campus da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) rejeitaram a proposta do Andes/SN de construção de uma greve unificada no primeiro semestre de 2024.

Após várias intervenções, que em unanimidade destacaram a importância de valorização e fortalecimento da carreira docente, além da necessidade de organização da luta da categoria em prol de reajuste salarial e melhores condições de trabalho, foi votado o ponto central da assembleia, que tratava da adesão ou não a um possível movimento paredista nacional.

Com 97 votos contrários, 23 favoráveis, além de sete abstenções, a proposição de greve ainda no primeiro semestre deste ano foi rejeitada pela categoria, que optou por outras estratégias de mobilização na atual conjuntura.

Nesse sentido, foi aprovado o fortalecimento da mobilização na Ufersa. Também foi definido um Comitê de Mobilização docente formado pelos professores Airton Torres e Aline Batista, do Campus Mossoró, Claudio Rocha, de Pau dos Ferros e Magnus Gonzaga e Sueldes Araujo do Campus Angicos.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA