Escrita

Escrita banner

 

No próximo sábado, 28, um eclipse lunar parcial poderá ser visto da parte da região mais a leste do País, que inclui parte de Minas Gerais, Bahia, Maranhão e Piauí. de acordo com o Observatório Nacional que fará transmissão ao vivo do evento. Durante o fenômeno astronômico, uma pequena parte do nosso satélite natural é momentaneamente encoberta pela sombra da Terra.

“Temos dois tipos de sombra: a penumbra e a umbra. A primeira é uma sombra clara que ainda recebe luminosidade do Sol. Quando a Lua está completamente mergulhada nessa sombra ocorre o eclipse penumbral e não se percebe diferença no brilho da Lua. Já a umbra é a sombra escura que não tem mais nenhuma luminosidade do Sol. Quando a Lua vai entrando nesta sombra temos o eclipse parcial. Quando está totalmente mergulhada na umbra ocorre o eclipse total da Lua”, explica Josina Nascimento, astrônoma do Observatório Nacional.

A fração do diâmetro da Lua coberto pela umbra da Terra será de apenas 0,122, de acordo com ela.

Durante o evento astronômico, os Estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte também poderão observar o eclipse, mas em todos os locais a cobertura máxima será de 6% durante o nascimento da Lua, de acordo com o Observatório Nacional. Verifique aqui como será a visualização na sua região.

Nas demais localidades, o eclipse será penumbral, já que a Lua terá passado pela fase parcial antes de surgir no horizonte. Segundo Josina, do Observatório Nacional, em todos os eclipses parciais, o fenômeno passa primeiro pela fase penumbral, seguida da fase parcial e, por fim, a penumbral novamente.

“É importante lembrar que os eclipses da Lua ocorrem durante a Lua Cheia e que a Lua Cheia nasce quando o Sol se põe. Portanto, para observar este espetáculo, é recomendável procurar locais com boa visibilidade para o leste, já que a Lua nascerá com o eclipse em andamento.”

No site Time and Date, o início está previsto às 16h38 (horário de Brasília), variando o término de acordo com cada localidade.

Diferentemente de um eclipse solar, como o registrado no dia 14 de outubro este ano, a boa notícia é que não é necessário tomar precauções especiais para observar o eclipse lunar.

“Podemos olhar diretamente para a Lua e pelo tempo que quisermos”, acrescenta a astrônoma.

Para quem deseja acompanhar o fenômeno de forma online, o Observatório Nacional reunirá astrônomos profissionais e amadores do projeto “O Céu em sua casa: observação remota” para transmitir ao vivo o eclipse parcial da Lua a partir das 15 horas de sábado.

Acompanhe ao vivo:

Estadão Conteúdo



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA