"Olho de Peixe" é acusado de dois homicídios

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) com apoio da 1ª Delegacia de Distrital, prendeu na quarta-feira, 18 de maio de 2022, Erivagner Martins Lucas da Silva, conhecido como “Olho de Peixe”, acusado de ser autor de dois homicídios ocorridos em Mossoró, neste ano de 2022.

“Olho de Peixe” foi preso no Bairro Ilha de Santa Luzia em Mossoró, por força de uma mandado de prisão preventiva expedido pela justiça. Ele já vinha sendo procurado e após uma investigação, a DHPP chegou ao seu paradeiro.

De acordo com o delegado Rafael Arraes, o primeiro crime de homicídio atribuído a Olho de Peixe, aconteceu no dia 21 de fevereiro, nas proximidades do Bar Acapulcos, no Alto São Manoel, em que foi vítima, Vínícius Emerson Cosme. A vítima ainda chegou a ser socorrida pelo Samu para o Hospital Tarcísio Maia, mas morreu dentro da ambulância, antes de chegar a unidade hospitalar. De acordo com o delegado Rafael Arraes, Erivagner  confessou o crime e disse que matou Vinícius por que ele estava lhe ameaçando de morte.

Já o segundo homicídio aconteceu em 30 de março, na Rua Mestre Alpiniano em uma região denominada de Várzea, também no bairro Alto de São Manoel. O crime vitimou Isaias de Oliveira Gomes, que havia chegado há poucos dias a Mossoró e era vendedor de pamonha.

As investigações apontaram que, no dia do crime, Erivagner, acompanhado de outro comparsa, já assassinado, estiveram mais cedo na casa de Isaías a sua procura, como ele não estava eles foram embora. Horas depois a vítima foi assassinada em via pública.

Segundo Arraes, Olho de Peixe nega participação neste crime, jogando a culpa para o outro homem, no entanto as provas apontaram a participação dele também no assassinato de Isaías.

A motivação do crime, segundo o delegado Arraes, teria sido por causa de uma rixa entre facções. Os assassinos achavam que Isaías, como era vendedor de pamonhas e vendia por toda Mossoró, estaria levando informações para outra facção rival.

Após ser preso, Erivagner Lucas Martins da Silva foi levado à DHPP onde prestou depoimento ao delegado Rafael Arraes, em seguida passou por exames de corpo de delito na sede do Itep e foi conduzido para a Cadeia Pública de Mossoró, onde ficará à disposição da justiça.

Fim da Linha



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem