Ialamy Gonzaga, conhecido como “Júnior Preto”, autor dos disparos que mataram o bacharel em direito Eliel Ferreira Cavalcante Júnior, de 25 anos, dia 9 de abril de 2022 no bairro Boa Vista, confirmou a versão dada por outra testemunha do crime, de que teria confundido o jovem com um assaltante e tentado fazer justiça com as próprias mãos.

Junior Preto se entregou na manhã de segunda-feira (25). Em seu depoimento, contou ao delegado Rafael Arraes, titular da Delegacia de Homicídios de Mossoró, que estava escondido na cidade de Fortaleza/CE.

Ele teria fugido de Mossoró pegando carona com um caminhoneiro. Desde então, estava vivendo em uma praça. Contou ainda que a arma utilizada no crime estava dentro de uma mochila e que esta foi furtada durante a estadia dele nesta suposta praça, versão na qual o delegado afirmou não acreditar.

Ainda de acordo com o delegado, todas as versões sobre os fatos ocorridos na noite do dia 9 constarão no inquérito policial, que segue agora sob sigilo. Ele acredita que até o final da semana o documento será remetido à justiça para que esta dê prosseguimento à denúncia do crime.

Júnior Preto encontra-se custodiado na Cadeia Pública de Mossoró, onde permanecerá à disposição da justiça.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem