O Rio Grande do Norte fechou 1.069 postos de trabalho com carteira assinada no mês de março. É o que aponta o novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), publicado na quinta-feira (28) pelo Ministério da Economia.

O saldo negativo no mês é decorrente de um maior número de demissões de trabalhos com carteira assinada em comparação com as contratações. Em março, no RN, foram:

  • 14.501 contratações;
  • 15.570 desligamentos.

Quando considerado todo o ano de 2022, de janeiro a março, o saldo também é negativo, com o estado tendo reduzido 2.157 empregos nesse período.

Ao todo, de janeiro a março, foram 44.787 novas contratações com carteira assinada contra 46.944 demissões. Neste ano, apenas o mês de fevereiro teve saldo positivo.

Considerando os últimos 12 meses, o saldo, no entanto, é positivo, com a criação de 25.321 postos de trabalho.

Cidades

A cidade que mais contribuiu para o fechamento das vagas em março no RN foi Mossoró, com o fechamento de 780 postos de trabalho - foram 1.918 contratações e 2.698 demissões.

A cidade de Apodi, com a redução de 451 vagas com carteira assinada, foi a segunda com a maior fechamento de postos de trabalho. Foram, ao todo, 54 contrações e 505 demissões em março.

Apesar do saldo negativo no estado, a capital Natal registrou um aumento de 494 vagas de trabalho com carteira assinada - foram 6.672 admissões e 6.178 desligamentos em março.

Setores

A atividade econômica que mais fechou empregos com carteira assinada em março no Rio Grande do Norte foi o de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura com perda de 2.146 vagas de trabalho.

Já o setor de construção civil, assim como em fevereiro, mais contratou do que demitiu, sendo responsável pela abertura de 451 novas vagas de emprego com carteira assinada.

G1/RN



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem