A Rússia e Ucrânia chegaram a um acordo sobre o cessar-fogo em áreas próximas a Kiev, capital ucraniana, e a Chernihiv, cidade ao norte do país.

Representes dos países se encontraram nesta 3ª feira (29.mar.2022) em Istambul, na Turquia. Conversas serão retomadas na 4ª feira (30.mar.2022). 

Durante a reunião, o governo ucraniano voltou a dizer estar aberto em adotar o status neutro em troca de garantias de segurança. Com a medida, o país se compromete a não entrar na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) nem hospedar bases militares no país.

Segundo o conselheiro chefe do presidente da Ucrânia, Mykhailo Podolyak, a chave de um acordo entre os países é a garantia de segurança internacional para o país. “Somente com este acordo podemos acabar com a guerra como a Ucrânia precisa”, disse. 

A proposta ucraniana prevê uma defesa coletiva semelhante à estabelecida no Artigo 5º do tratado da Otan. Segundo Podolyak, os países responsáveis pela segurança da Ucrânia podem ser os EUA, Reino Unido, Turquia, França, Alemanha, entre outros.

Outro ponto discutido na reunião está relacionado à Crimeia. Os negociadores ucranianos propuseram discutir o status da península em até 15 anos. “Foi oferecido resolver a questão da Crimeia não por meios militares. Apenas por meio de esforços políticos e diplomáticos”, disse Podolyak.

A Crimeia pertencia ao território ucraniano, mas foi anexada pela Rússia em 2014. Uma das exigências russas é que a Ucrânia reconheça a península como parte do território russo. 

Em sua conta no Twitter, Podolyak classificou as conversas desta 3ª feira (29.mar) como “difíceis”. 

RÚSSIA

Após o término das conversas desta 3ª feira (29.mar), o Ministério de Defesa russo anunciou o recuo das tropas e a redução dos ataques nos arredores de Kiev e de Chernihiv. 

Segundo o vice-ministro da Defesa russo, Alexander Fomin, as medidas foram tomadas “no sentido de fortalecer a confiança mútua, criar condições necessárias para negociações futuras e alcançar o objetivo final de assinar um acordo”. Informações são da agência russa Tass. 

O negociador russo Vladimir Medinsky afirmou que as negociações foram “construtivas”. Disse ainda que as propostas da Ucrânia foram recebidas e “serão estudadas em um futuro próximo” e relatadas ao presidente Vladimir Putin. “Daremos uma resposta”, disse. 

Medinsky também comentou sobre um possível encontro entre Putin e o presidente da Ucrânia, Volodymy Zelensky. Afirmou que os líderes podem se reunir durante a assinatura de um eventual tratado bilateral entre os chanceleres dos países Sergey Lavrov, da Rússia, e Dmytro Kuleba, da Ucrânia. 

“[…] durante esta assinatura e a consideração dos detalhes do tratado, será possível discutir vários nuances e detalhes políticos. Então, se o trabalho sobre o tratado e um compromisso necessário avançarem rapidamente, a possibilidade de paz estará muito mais próxima”, disse. 

Poder 360



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem