Autoridades da Ucrânia confirmaram no início da madrugada desta 5ª feira (24.fev.2022) ataques em ao menos 10 regiões do país. A informação surge momentos depois de o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ter anunciado uma “operação militar especial” no país vizinho.

Já há relatos de explosões em Kiev, a capital ucraniana, e também nas cidades de Kharkiv, Dnipro e Odessa. De acordo com a Reuters, tropas russas foram vistas cruzando a fronteira ucraniana nas regiões de Chernihiv, Kharkiv e Luhansk.

Até a última atualização desta reportagem, pelo menos 8 pessoas morreram e 9 ficaram feridas em consequência de bombardeios russos. A informação foi divulgada por um assessor do ministro ucraniano de Assuntos Internos, Roman Mikulec, à agência de notícias.

Além da fronteira, tropas russas estão invadindo o território ucraniano também a partir de Belarus e da Crimeia. As autoridades fronteiriças ucranianas relataram que soldados bielorrussos estão integrando as tropas da Rússia.

“Putin iniciou uma invasão em larga escala na Ucrânia. Cidades pacíficas do país estão sob ataque. Isto é uma guerra de agressão. A Ucrânia se defenderá e vencerá. O mundo pode e irá impedir Putin. A hora de agir é agora”, publicou o ministro das Relações Exteriores ucraniano, Dmytro Kuleba, às 0h58 (horário de Brasília).

A informação de que os ataques começaram também foi confirmada pelo vice-ministro do Interior ucraniano, Anton Gerashchenko.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, disse que as forças do país estão usando “armas de alta precisão” e que os bombardeios têm como alvos instalações e equipamentos dos militares ucranianos. Não especificou quais são essas armas.

Um dos alvos dos bombardeios, segundo reportou o jornalista do britânico Guardian Luke Harding, foi o aeroporto de Vasilkovsky, que fica perto de Kiev. O terminal abriga aviões de guerra das forças ucranianas. Também houve explosões em área próxima ao aeroporto de Chuguev, cidade que fica a cerca de 100 quilômetros da fronteira com a Rússia.

Assista a vídeos dos ataques compartilhados por ucranianos nas redes sociais:



Em pronunciamento na televisão russa, Putin disse que a ação militar terá como objetivo proteger a população das províncias de Donetsk e Luhansk, situadas na região fronteiriça de Donbass. Mas acrescentou que confrontos entre forças russas e ucranianas serão “inevitáveis” e “só questão de tempo”.

Vladimir Putin disse em sua mensagem à população russa que não pretende invadir a Ucrânia, mas sim “desmilitarizar e desnazificar” a região que a Rússia considera independente. Pediu para os soldados ucranianos entregarem suas armas e deixarem a zona de batalha. Afirmou que a responsabilidade por eventual sangue derramado será do regime ucraniano. E acrescentou: “A Rússia agirá imediatamente caso haja interferência estrangeira”.

O pronunciamento de Putin durou cerca de 40 minutos. Estava gravado. Sua transmissão foi feita no momento em que o Conselho de Segurança da ONU realizava reunião. Veio minutos depois de o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, ter feito um apelo para que o presidente russo “pare suas tropas”.

Poder 360





Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem