Cacim

Print

 

O conselho seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no RN revogou na sexta-feira(07) a medida cautelar que proibia o presidente afastado da entidade em Mossoró, Hermeson Pinheiro, de advogar.

Atendeu a um pedido de sua defesa.

A punição estava em vigor desde o dia 30 de maio, após o dirigente da OAB Mossoró ter se envolvido em um caso de agressão a mulheres em vídeo que viralizou nas redes sociais.

Pesou para revogação da medida pelo menos dois fatores: A suspensão de advogar era mesmo temporária; houve depoimentos contraditórios na coleta de informações.

Negado

A defesa também tentou convencer o conselho a não instaurar um processo ético contra Hermeson e queria derrubar o seu afastamento em nível de OAB-RN, mantendo-o afastado somente através da decisão tomada pela subseccional de Mossoró. Essa medida poderia garantir um retorno mais facilitado ao cargo de presidente.

Não obteve sucesso.

Pelo contrário.

O agrupamento, por unanimidade, instaurou, formalmente, um processo ético, para investigar todo o caso, medida que mantém Hermeson afastado não mais por ‘até 90 dias’, mas até que o processo seja concluído, o que não tem prazo de ocorrer.

Um outro fator a ser destacado é que um eventual retorno para o cargo, como Hermeson sinaliza que deseja, não depende da OAB Mossoró, mas da seccional RN.

Desde que o vídeo veio à tona, em 29 de maio de 2024, o presidente afastado não se pronunciou publicamente sobre o assunto.

Sua conta pessoal no Instagram foi excluída naquele mesmo dia.

Justiça Potiguar via Blog Saulo Vale


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA