GOVERNO

640x128

 

O primeiro quadrimestre de 2024 no Rio Grande do Norte foi o menos violento dos últimos 14 anos. De janeiro a abril, 316 pessoas foram vítimas de morte violenta no estado. Antes, a melhor marca havia sido alcançada em 2011, quando se iniciou a série histórica. À época, foram 343 vítimas, o que significa uma redução de quase 8%. Os dados são da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE) da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED).

A maior diminuição dentro da série histórica aconteceu em 2017, considerado o mais violento do RN. Naquele ano, 818 pessoas foram mortas em todo o território potiguar. Em comparação com as ocorrências registradas este ano, a queda foi de 61,3%.

 Série histórica

A série histórica de mortes violentas no Rio Grande do Norte teve início em 2011, quando a Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) passou a contabilizar, de forma padronizada, as mortes violentas intencionais ocorridas no estado. Desde então, os critérios adotados para a consolidação dos dados estatísticos têm se mantido os mesmos, inclusive, seguindo o padrão nacional.  

Em todo o país, são consideradas MVIs (Mortes Violentas Intencionais) toda vida perdida em decorrência de homicídio doloso, latrocínio, feminicídio, lesão corporal seguida de morte e intervenção policial, que são as mortes que ocorrem em confronto com agentes da segurança pública.

Reduções  

Tomando como base as ocorrências de violência e criminalidade registradas de janeiro a abril deste ano, comparando com o mesmo período do ano passado, as forças de segurança pública que atuam no estado têm obtido resultados importantes. Confira:

* Mortes Violentas Intencionais: - 13,2%

* Roubos de telefones celulares: - 16,5%

* Roubos a estabelecimentos comerciais: - 11,8%

* Roubos a residências: - 16,3%

* Roubos em via pública: - 7,6%

* Roubos e furtos de veículos - 4,3%  

Vale destacar que os dados contabilizados e consolidados pela COINE são repassados mensalmente para o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e para o Ministério Público Estadual (MPRN).


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA

GOVERNO