GOVERNO

640x128

A comunidade escolar da UEI Adalgiza Fernandes, onde funcionava a antiga Escola Kennedy, localizada entre os bairros Boa Vista e Nova Betânia, vive um período de incertezas com a interdição do prédio onde a unidade escolar funcionava que há um mês está sem aulas presenciais. Com estrutura comprometida há anos, o antigo prédio alugado apresentava riscos tanto para as crianças quanto para professores que dão aulas na unidade.

A situação veio à tona em fevereiro de 2023, quando mães de alunos começaram a denunciar as condições precárias do local. “Travei essa luta com a prefeitura desde que minha filha entrou na escola”, disse Graicy Karen, mãe de uma das crianças que estuda na UEI.  

Segundo a empreendedora, após denúncias e solicitações de realocação, a Prefeitura de Mossoró se comprometeu em buscar um novo prédio para alugar entre os dois bairros. No entanto, o processo se estendeu até abril deste ano, quando as chuvas intensas agravaram ainda mais a situação do prédio, resultando em interdição imediata. 

Com isso, as aulas presenciais foram suspensas e as atividades passaram a ser realizadas de forma online, deixando muitos pais sem condições de auxiliar os filhos devido aos compromissos de trabalho. Ela relata que, diante do descontentamento dos pais, a situação prejudica a aprendizagem das crianças, que com idade entre 2 a 4 têm aulas em formato online. “As aulas foram suspensas e começaram online para crianças a partir dos dois anos, acredite”, relata Graicy.   

Segundo ela, a falta de informações claras e atualizadas por parte da Prefeitura tem sido uma fonte de preocupação para os pais e a equipe da UEI. 

De acordo com Graicy, recentemente, a direção da escola informou aos pais que um novo prédio foi encontrado e que estava prevista uma vistoria para o início de maio, indicando uma possível mudança em breve. No entanto, a falta de comunicação oficial tem deixado a comunidade escolar sem informações concretas por parte da Prefeitura de Mossoró.  

“No final de abril fui conversar com a direção e eles me informaram que já haviam encontrado um novo prédio onde provavelmente no dia 5 de maio já estaria sendo vistoriado para começar a mudança. Do ano passado para cá, não houve uma nota da prefeitura em relação a uma mudança fixa, depois da interdição a única nota que nós pais recebemos foi no dia 8 informado da mesma e no dia 9 falando sobre não ter sido liberado o antigo prédio para volta às aulas”, relata a mãe.

A Prefeitura de Mossoró ainda não se manifestou sobre a situação.

TCM Notícia



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA

GOVERNO