Escrita

Escrita banner

 

Com a presença de agentes da Polícia Rodoviária Federal, servidores e profissionais da imprensa, a reitora da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), Ludimilla Oliveira, coordenou nesta segunda (20) o envio de dois caminhões com 14 toneladas de produtos doados para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Foram arrecadados mais de cinco mil garrafas de água, produtos de higiene e roupas que serão entregues na sexta (24) na Universidade Federal de Ciências da Saúde (UFCSPA), localizada no centro histórico de Porto Alegre.

“Esse é o papel da nossa instituição”, afirmou a reitora. “A Ufersa vai atravessar o país para ajudar nossos irmãos do Rio Grande do Sul nesse momento, porque nós também temos a obrigação de cooperar com a sociedade em situações como essa”. Ainda de acordo com Ludimilla Oliveira, o trabalho dos servidores e da Pró-reitoria de Cultura e Extensão foi fundamental no processo de separação e organização dos itens doados. “Nós desde o início da campanha tivemos o cuidado de orientar as pessoas a só trazerem peças e produtos que elas mesmas usariam”, afirma. “Ainda assim, tudo que chegou passou por um trabalho de separação e limpeza”.

Os produtos doados estão sendo levados até o Rio Grande do Sul por quatro motoristas da instituição, em uma viagem de 3.908 quilômetros prevista para durar cinco dias. Na saída de Mossoró, agentes da Polícia Rodoviária Federal inspecionaram os caminhões com o objetivo de garantir a segurança da viagem e a passagem dos itens doados pelos postos de fiscalização.

Solidariedade

O processo de arrecadação e organização de todos os itens doados foi coordenado pela servidora aposentada Maria do Carmo dos Santos Galdino, conhecida por toda a comunidade acadêmica como Mariquinha. “Sem esse trabalho de Mariquinha nós não estaríamos aqui hoje enviando esses caminhões”, destacou a reitora da Ufersa.

A campanha de arrecadação envolveu os quatro campi da Ufersa e contou com a colaboração de servidores de diferentes setores, passando pelo Cerimonial, Pró-reitorias, gabinete e comando local de greve, já que os técnico-administrativos da instituição estão com as atividades paralisadas desde o dia 11 de março.

“Além de reforçar a necessidade de doação, o comando de greve fez a compra de itens de higiene e mobilizou servidores durante uma semana para trabalharem na separação e organização dos itens”, afirma a Coordenadora Geral da Seção Sindical do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior (Sintest-RN), Kaliane Morais.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA