Independência

Independencia banner

A Rússia está preparada tanto militar quanto tecnologicamente para um possível conflito nuclear, embora seja improvável que as coisas cheguem a esse ponto, disse o presidente russo, Vladimir Putin, em entrevista a Dmitry Kiselev, diretor-geral do grupo midiático Rossiya Segodnya, do qual a Sputnik faz parte.

"Do ponto de vista militar e técnico, estamos prontos, é claro" disse Putin. O mandatário enfatizou, ainda, que se a questão ameaçar a existência do Estado russo, as armas nucleares estão prontas para serem usadas.

"Temos nossos próprios princípios. O que eles [os princípios] dizem é que estamos preparados para usar armas, inclusive quaisquer armas e aquelas que você mencionou, se for uma questão de existência do Estado russo ou de danos à nossa soberania e independência. Tudo está escrito em nossa Estratégia, não a mudamos".

Putin afirmou também que os Estados Unidos estão desenvolvendo armas nucleares, mas isso não significa que estejam prontos para iniciar uma guerra nuclear amanhã. Segundo o presidente russo, Joe Biden representa a "escola política tradicional" e os EUA têm muitos outros especialistas em relações Rússia-EUA e dissuasão estratégica.

"Mas isso não significa que, na minha opinião, eles estejam preparados para desencadear essa guerra nuclear amanhã. Bem, eles querem, que podemos fazer? Estamos prontos", disse Putin.

Tropas dos EUA na Ucrânia serão tratadas como intervencionistas

Na mesma entrevista Putin respondeu ao anúncio de que os EUA não enviariam tropas à Ucrânia, afirmando que a Rússia não subestimaria a gravidade de tal ação.

"Sabemos o que são tropas americanas em território russo, são tropas intervencionistas, e é assim que as trataremos, mesmo que apareçam em território da Ucrânia", afirmou o presidente russo.

Putin destacou que Washington entende a posição da Rússia sobre este assunto. As tensões entre a Rússia e o Ocidente vêm aumentando desde 2014 e os EUA e seus aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) têm apoiado Kiev.

Agência Sputnik



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Cacim