Escrita

Escrita banner

O Rio Grande do Norte, que possui empreendimentos contemplados nos Lotes 3 e 4, será beneficiado pela construção de obras de infraestrutura de transmissão que irão expandir e tornar mais robusta a rede básica de energia elétrica do estado.

No leilão realizado na B3 [BM&FBOVESPA e Cetip], em São Paulo, para o lote 4, o Fundo Warehouse, do BTG Pactual, venceu a disputa por uma RAP (Receita Anual Permitida) de R$ 111,7 milhões, com um deságio de 30,50% sobre RAP máxima de R$ 160,7 milhões. O empreendimento terá investimentos de R$ 990,5 milhões. 

A empresa será responsável por construir subestações e 411 quilômetros de linhas de transmissão que ligam os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, com prazo de 60 meses para a conclusão das obras. Os objetivos dos projetos são viabilizar o escoamento da energia renovável solar e eólica para os centros de consumo e aumentar a segurança operacional do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Já no lote 3, as obras que irão atender o RN são de seccionamento, ou seja, são executadas no Ceará, mas beneficiam as linhas de transmissão que interligam subsestações no Rio Grande do Norte. Este lote propôs RAP de R$ 114,4 milhões (deságio de 26,94% sobre a RAP máxima de R$ 156,6 milhões). Os investimentos serão de R$ 983,4 milhões. O lote é composto por 337 quilômetros de linhas de transmissão no Ceará. A previsão também é de 60 meses para a conclusão das obras. O lote foi disputado entre Fundo de Investimento Warehouse, Engie Brasil e Eletrobras (Eletronorte).

Este leilão foi o terceiro a ser realizado no atual governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2023 foram realizadas duas licitações. O obetivo é contratar R$ 18,2 bilhões em investimentos para a construção de 6.464 quilômetros de linhas e subestações com 9.200 MW em capacidade de transformação. 

São 15 lotes, abarcando 14 Estados: Ceará, Piauí, Tocantins, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Maranhão.

A maioria dos empreendimentos visa a expandir a rede básica do Nordeste para possibilitar o pleno escoamento das usinas já contratadas na região e fazer frente à expectativa de contratação de elevados montantes de energia provenientes de novos empreendimentos de geração renovável, com destaque para as usinas eólicas e solares.

A governadora Fátima Bezerra registra que as novas linhas de transmissão são fundamentais para consolidar os novos investimentos em energias renováveis no RN. "O RN e os demais estados do Nordeste têm R$ 150 bilhões contratados em expansão da produção de energias renováveis. Em nosso estado são 22 novos empreendimentos onshore com previsão de R$ 32 bilhões em investimentos", informou.

Fátima, que também preside o Consórcio Nordeste, ainda ressaltou que o leilão é fruto de intenso trabalho junto ao Governo Federal e ao ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira. "Tivemos diversas reuniões com o ministro Alexandre Silveira no intuito de garantir a realização do leilão e as obras necessárias para a construção das linhas de transmissão dentro dos prazos. Agora, finalizada esta etapa, continuaremos acompanhando todo o processo que irá ampliar nossa infraestrutura energética e fortalecerá bases para o desenvolvimento econômico sustentável do nosso estado e da região Nordeste com geração de trabalho e renda ao nosso povo", conlcuiu a Governadora do RN.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Cacim