Governo

640x128

 

O presidente da Federação Norte-Rio-Grandense de Futebol, José Vanildo, esteve em Mossoró na sexta-feira (16), para debater soluções para a atual condição do Estádio Nogueirão que está impossibilitado de receber jogos, por conta da queda da marquise metálica no último sábado (10). Baraúnas e Potiguar definiram o Estádio Edgarzão, em Assú, como a “nova casa” para a sequência do Campeonato Estadual.

A única pendência do Edgarzão é o laudo do Corpo de Bombeiros. De acordo com informações repassadas durante a coletiva, essa documentação já está sendo resolvida pela Liga Assuense de Desportos e estará pronta em tempo hábil. No segundo turno do Estadual, tanto Potiguar, quanto Baraúnas terão dois jogos como mandantes, ou seja, totalizando quatro partidas nessa condição.

José Vanildo e os presidentes dos clubes já não trabalham mais com a possibilidade de mandar os jogos no Estádio Nogueirão. Após a queda da estrutura metálica que cobria as cadeiras, o local segue fechado e sem previsão para abertura. Novas vistorias terão que ser feitas, além de resoluções estruturais, bem como a própria retirada da marquise metálica que desabou na Rua Dedé Chatim, na entrada da praça esportiva.

O presidente da FNF buscou uma reunião com o prefeito, mas não foi atendido. Segundo José Vanildo, um encontro para tratar sobre esse assunto poderá acontecer na próxima semana. Vanildo garantiu apoio aos clubes mossoroenses e lamentou a “morte” do futebol na cidade.

Alexandre Tavares, presidente do Potiguar, e Lima Neto, presidente do Baraúnas, citaram que os gastos dos clubes vão triplicar com a mudança de “casa”, por conta de custos logísticos. Lima Neto também alertou que a cidade de Mossoró pode ficar até três anos sem um estádio, por conta do processo de permuta e de construção de um novo.

TCM Notícia


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Cacim