GOVERNO

640x128

 

Na terça-feira (6), Alexandre David Andrade da Silva, de 20 anos, assassino confesso do cinegrafista Carlos Romão Barboza Filho, conhecido como Jubileu, passou por audiência de custódia. 

Durante a audiência, a Justiça negou a liberdade provisória dele e converteu a prisão em flagrante, efetuada pela Polícia Civil, em prisão preventiva. O acusado vai permanecer na prisão e aguardar julgamento popular.

O cinegrafista Jubileu, que não tinha qualquer registro de antecedente criminal, foi morto com dois tiros na cabeça quando chegava com a namorada no Bairro Sumaré onde morava. Ele havia ido ao Bairro Malvinas buscar a companheira e, quando voltava para casa, foi abordado por Alexandre David e um menor que estavam numa moto roubada. 

Alexandre David foi preso no dia seguinte, após uma operação do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) no Bairro Malvinas. A arma do crime, um revólver calibre 38 foi apreendida. Na presença do delegado da DHPP, Caio Fábio, ele confessou o crime e disse que matou o cinegrafista por engano.

Já o adolescente de 17 anos, que pilotava a motocicleta, se apresentou na terça-feira na DHPP acompanhado de um advogado. O jovem prestou depoimento sendo liberado em seguida por estar fora de flagrante e não haver mandado de busca e apreensão contra ele.

TCM Notícia



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA

GOVERNO