Independência

BANNER BLOG 2024 0001

 

Foto: Reprodução

Um homem foi baleado após policiais militares do Rio Grande do Norte atirarem contra um táxi da Paraíba no Litoral Sul potiguar, na noite de quinta-feira (4). Outras duas pessoas estavam no veículo - o taxista e outra passageira - e não ficaram feridas.

Segundo a própria PM, o caso aconteceu por volta das 21h. O homem foi atingido na cintura, próximo ao glúteo e foi levado para o hospital de Goianinha, onde passou por estabilização, antes de ser transferido para Hospital Deoclécio Marques, na Grande Natal. O estado de saúde dele não foi informado até a última atualização desta matéria.

Segundo o major Alan Bruno, comandante do Batalhão da Polícia Militar em Canguaretama, os policiais tinham recebido uma queixa de roubo do veículo e atiraram após o motorista do táxi supostamente não ter atendido a uma ordem de parada. No entanto, ele afirmou que a queixa de roubo tinha sido um equívoco.

Ainda de acordo com o major, o carro é alugado e utilizado pelo taxista para transporte de passageiros na Paraíba. No entanto, o proprietário do carro estranhou a movimentação do automóvel no sentido ao Rio Grande do Norte e comunicou o suposto roubo à polícia paraibana, que acionou a polícia potiguar.

"Foi uma irresponsabilidade muito grande. Depois foi que se viu toda a situação. Graças a Deus não aconteceu nada pior. Gerou uma sequência de desentendimentos que culminou nessa situação, infelizmente", afirmou o major.

Já o taxista Basílio Neri, que dirigia o carro, contestou a versão da polícia, em entrevista ao g1. De acordo com ele, os policiais atiraram contra o carro sem dar qualquer ordem para parada.

"Ele nem acionou a sirene, nem piscou luz, nem o giroflex. Quando ligueir a seta para entrar para Pipa, atiraram. Mais de 16 tiros e eu não vi que era polícia e achei que era bandido me assaltando. Entrei no posto para pedir socorro e chegou e a polícia encostou com quatro armas na mão. Era para fazer abordagem. Se tivesse dado sinal, eu tinha parado, porque eu sou profissional, mas como ia adivinhar que é a polícia que está atrás de mim sem dar sinal de nada?", relatou.

Ainda de acordo com o motorista, que trabalha no ramo há 15 anos, ele pegou o casal em um shopping de João Pessoa, com destino à praia da Pipa. Como não conhecia os clientes, pediu para o patrão acompanhar a viagem, mas o homem teria ficado sem sinal de internet e acionou o seguro para acompanhar o carro via gps. A equipe, no entanto, teria acionado a polícia achando que se tratava de um assalto.

A abordagem

Ainda segundo a própria PM, policiais de várias unidades do litoral Sul do Rio Grande do Norte foram comunicados para ficarem atentos à movimentação do suposto carro roubado, que tinha saído da Paraíba no sentido ao Rio Grande do Norte.

Segundo a PM, os policiais de Canguaretama tinham acabado de sair da delegacia de Goianinha, que estava aberta em plantão, quando se depararam com o veículo e teriam ordenado a parada do veículo, que teria sido desobedecida antes dos disparos.

Procurado pelo g1, o comando-geral da Polícia Militar do RN informou por meio de sua assessoria de imprensa que está averiguando o fato.

G1/RN


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Oculum