Independência

BANNER BLOG 2024 0001

Na quinta-feira, 21 de dezembro, a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) deu mais um passo no que se refere a pesquisas aeroespaciais, com a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica sobre Geodesia Espacial, firmado com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Universidade de Mackenzie. A assinatura aconteceu durante conferência realizada na sede da AEB, em Brasília.

A cerimônia contou com a participação do presidente da AEB, Marco Antônio Chamon; a reitora da Ufersa, professora Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira; e o reitor da Universidade de Mackenzie, professor Marco Túlio Castro de Vasconcelos, entre outros convidados.

O Acordo de Cooperação Técnica objetiva o desenvolvimento e a formação de recursos humanos na área de Geodésia Espacial, contido no Programa Brasileiro de Interferometria de Linha de Base Muito Longa, a partir das operações do Rádio Observatório Espacial do Nordeste (ROEN), localizado na cidade de Eusébio, no Ceará.

A reitora da Ufersa considera que a assinatura do convênio com a AEB e a Mackenzie traz para a universidade um grande diferencial com um impacto imensurável. “Entramos no circuito da ciência e da tecnologia no mais alto nível. Passamos a contar com a chancela de um órgão mundial que trabalha com condições superiores as que as universidades possuem que é a NASA. Esse aval da Agência Espacial Brasileira e da Mackenzie faz toda a diferença”, pontuou a reitora Ludimilla Oliveira. Ela acrescentou que a Ufersa abriu uma porta do mundo. “A partir de hoje a Ufersa faz parte do mundo da ciência internacional”, ratificou.

A professora adiantou que o próximo passo será na organização do plano de trabalho com ações e a constituição de um núcleo de estudo de pesquisas científicas voltadas para a área espacial, bem como o fortalecimento dos estudos de geodesia. Outra meta é somar forças com as demais áreas do conhecimento. “Trata-se uma área transversal que pode envolver as demais áreas de atuação da Ufersa. Hoje a nossa Universidade conquista grande avanço tendo a NASA como parceira, um acontecimento de grande importância”,  considerou a reitora Ludimilla Oliveira.

Para o presidente da AEB, Marcos Chamon, a assinatura do convênio representa um momento histórico para as instituições envolvidas. “Precisamos ampliar essas operações, trazendo mais cérebros para esse empreendimento, que traz benefícios para a pesquisa cientifica brasileira que já é de grande nível, beneficiando também os desenvolvimentos tecnológicos na área espacial”, discursou Marcos Chamon. O presidente da AEB também acredita também no potencial das universidades Mackenzie e Ufersa na continuidade do projeto.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Oculum