Cacim

Print

 


A guerra em Israel completa nesta segunda-feira 16, seu décimo dia, com a expectativa para um cessar-fogo em Gaza. Israel nega que um acordo tenha sido feito para retirada de estrangeiros da região.

Um grupo de 28 brasileiros segue na expectativa da abertura de um corredor humanitário em Rafah, cidade palestina na fronteira com o Egito. No entanto, o governo do Brasil diz para que não saiam até um acordo ser firmado.

A comunidade internacional, agências humanitárias e milhares de palestinos vivem a expectativa de que a passagem entre a Faixa de Gaza e o Egito possa ser aberta na manhã desta segunda-feira. Mas diplomatas brasileiros, tanto em Ramallah quanto do lado egípcio da fronteira, garantiram à reportagem que o ponto de cruzamento continua fechado para a saída dos estrangeiros. O Hamas também negou que haja um acordo neste sentido.

As primeiras notícias de uma abertura da passagem entre Gaza e o Egito, em Rafah, surgiram com uma reportagem da agência Reuters que, citando fontes na região, revelou que a fronteira seria aberta para permitir que a ajuda humanitária entre em Gaza. O acordo entre EUA, Egito e Israel teria sido fechado depois da visita do secretário de estado norte-americano, Antony Blinken, ao Cairo.

Mas instantes depois da publicação da informação, o governo de Israel emitiu um alerta de que não houve um acordo sobre um cessar-fogo no Sul de Gaza. Ataques foram registrados na manhã desta segunda, na região onde supostamente haveria um entendimento.

Um dos representantes do Hamas declarou à agência Reuters que a notícia de um acordo de abertura da fronteira não seria verdadeira.

Tanto o embaixador do Brasil no Egito como em Ramallah indicaram à reportagem que os brasileiros não foram deslocados ainda de sua base. O presidente Lula tem disparado telefonemas a líderes da região, apelando para que o grupo seja autorizado a deixar a Faixa de Gaza.

O grupo de pessoas prontas para a evacuação de Faixa de Gaza reúne 28 brasileiros e imigrantes palestinos. Ao todo, são 14 crianças, 8 mulheres e 6 homens adultos. Desses, 10 encontram-se em Rafah, e 18 em Khan Younes, um pouco mais ao norte. São 22 cidadãos brasileiros, 3 imigrantes palestinos e 3 palestinos com residência no Brasil, segundo a última atualização. Até o momento, o Brasil já repatriou 916 pessoas de Israel.

Uma aeronave da Presidência da República, um VC-2 com capacidade para até 40 passageiros, mais tripulantes, já está em Roma, na Itália, à espera da liberação.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA