Independência

Independencia banner

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, defendeu na quarta-feira (6) uma "retomada" da fiscalização sobre a comercialização dos combustíveis após a saída da refinaria, para combater o que classificou de "oportunismo tarifário".

De acordo com ele, os preços dos combustíveis vendidos em vários postos tiveram aumento acima do estipulado após o último reajuste anunciado pela empresa.

No dia 15 de agosto a Petrobras anunciou uma alta de R$ 0,41 no preço da gasolina vendida nas refinarias da companhia, chegando a R$ 2,93. O litro do diesel subiu R$ 0,78, passando a R$ 3,80.

De acordo com o presidente da estatal, a estimativa da empresa era de que o reajuste nas bombas fosse de algo em torno de R$ 0,30, visto que o combustível vendido ao consumidor é misturado com etanol, no caso da gasolina, e biodiesel, no caso do diesel.

"O efeito esperado na bomba era de R$ 0,30, mas teve lugar que aumentou R$ 2. Há também de se considerar uma retomada das fiscalizações pós-refinaria, isso a gente tem dito que tem que ter muito cuidado, essa é uma questão de governo, de governo federal e governos dos estados. Tem Procons, tem Cade, uma série de instrumentos para combater o oportunismo tarifário", afirmou.

"O movimento que se faz é sempre que a Petrobras aumentou ou diminuiu (o preço), naquele momento. Após isso, ninguém tem muita noção como isso chegou ao posto e é importante ter transparência", afirmou.

Apesar do aumento dos preços nas refinarias, Jean-Paul afirmou que os valores praticados pela Petrobras ainda são menores que os registrados em janeiro deste ano. De acordo com ele, o litro de gasolina vendido nas refinarias era de R$ 3,31 em janeiro. O diesel era vendido a R$ 4,49, segundo o presidente.

O presidente ainda afirmou que, embora a estatal tenha mudado a política tarifária para não considerar apenas o custo da importação dos combustíveis, o preço do mercado internacional ainda tem impacto sobre o valor dos combustíveis vendidos pela empresa.

Produção no RN

Em entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, o presidente também afirmou que a Petrobras aguarda licenciamento do Ibama para começar perfurar poços no mar do Rio Grande do Norte, marcando a retomada da produção petrolífera da companhia no estado. Jean-Paul afirmou que a perfuração deverá ocorrer até o meio de 2024.

A Petrobras vendeu todos os ativos de produção em terra no Rio Grande do Norte, inclusive a refinaria Clara Camarão. Após assumir a presidência da empresa, Jean, que foi senador pelo estado, anunciou a implantação de um centro voltado para energias renováveis na sede da empresa em Natal. 

G1/RN


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA

GOVERNO