Cacim

Print

O governo do Rio Grande do Norte suspendeu o fornecimento do programa do leite para 22 cidades potiguares nesta segunda-feira (18), por tempo indeterminado. A informação foi confirmada ao g1 pela Secretaria Estadual de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas).

Ao todo, 7.229 famílias deverão ficar sem o fornecimento do alimento, de acordo com a pasta. Cada família inscrita no programa tem direito a receber 5 litros de leite por semana.

De acordo com o governo, um laudo do Instituto de Defesa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Idiarn) constatou "inadequação nas instalações" da indústria contratada para fornecer o leite para os municípios.

Segundo a Sethas, a paralisação foi necessária para que a indústria adeque os equipamentos da sua linha de produção às normas sanitárias.

"A medida é para proteger a saúde da população de 22 municípios que são atendidos pelo referido laticínio", acrescentou a pasta.

"A produção só será retomada depois que a empresa fizer os ajustes para que o leite volte à produção nas condições adequadas exigidas pelas autoridades sanitárias", informou por meio de nota.

Ainda segundo o governo, a empresa não pode ser substituída temporariamente por outro fornecedor, porque não há previsão sobre o tema no contrato.

Veja as cidades afetadas

  • Apodi
  • Areia Branca
  • Baraúna
  • Brejinho
  • Caraúbas
  • Felipe Guerra
  • Governador Dix-Sept Rosado
  • Grossos
  • Itaú
  • Jundiá
  • Lagoa de Pedras
  • Lagoa Salgada
  • Monte Alegre
  • Mossoró*
  • Passagem
  • Riacho da Cruz
  • Rodolfo Fernandes
  • Serra do Mel
  • Severiano Melo
  • Taboleiro Grande
  • Tibau
  • Vera Cruz

No caso de Mossoró, apenas parte das famílias atendidas pelo programa ficará sem o fornecimento de leite, porque o município é abastecido por quatro laticínios diferentes. O laticínio com serviços suspensos atende 500 famílias na cidade.

O programa

O Programa do Leite Potiguar (PLP) é uma política pública estadual de promoção de segurança alimentar e nutricional para a população em situação de vulnerabilidade.

Podem participar do programa famílias inscritas no Cadastro Único, dentro da faixa econômica de extrema pobreza, e com crianças de 1 a 7 anos de idade, ou idosos acima dos 60 anos.

G1/RN



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

INDEPENDÊNCIA