O policial militar reformado Wendel Fagner Cortez de Almeida, conhecido como Lagartixa, está preso devido a uma investigação que apura possível ligação dele e de outro policial militar, que não teve a identidade revelada, a pelo menos três mortes e três tentativas de homicídio em Natal. A prisão temporária tem validade por até 30 dias. Lagartixa nega os crimes.

Batizada de “Aqueronte”, a operação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil (DHPP) prendeu os supostos envolvidos em um triplo homicídio ocorrido no dia 29 de abril deste ano, no bairro da Redinha, na capital potiguar. As mortes ocorrera na rua Rio Salgado, onde seria inaugurado um bar. Os criminosos teriam chegado ao local em um carro e, após se identificarem como policiais, atiraram contra pessoas que estavam na calçada do bar. O proprietário do bar foi morto na calçada. As outras duas pessoas foram perseguidas e mortas em outro local.

As investigações culminaram com o cumprimento de mandados de prisão temporária e mandados de busca e apreensão. Wendel Lagartixa foi preso em casa, enquanto o sargento da Polícia Militar foi detido no local de trabalho, a chegar para o serviço no 4º Batalhão.

O advogado João Antônio Dias Cavalcanti, que defende Wendel Lagartixa, afirmou que o cliente garante a inocência e que não tem envolvimento nos crimes. “Estamos tomando conhecimento de fato do que se tratam as investigações. De antemão, nosso cliente se declara inocente, sem nenhum envolvimento. Vamos buscar o acesso dos autos para fazermos uma melhor defesa”, disse o advogado, afirmando ainda que Wendel Lagartixa já havia sido acusado em outras oportunidades e “inocentado em todas”. No entanto, ainda há pelo menos dois processos em curso contra o policial reformado que tratam sobre homicídios e que aguardam a decisão.

Pré-candidato a deputado estadual, Wendel Lagartixa tem milhares de seguidores nas redes sociais, onde faz vídeos diários cobrando ações do Poder Público sobre problemas comunitários, como limpeza urbana e condições de vias públicas. Além disso, ele também mantém um perfil onde expõe supostos autores de crimes pelo estado.

Em agosto do ano passado, Wendel Lagartixa foi vítima de uma tragédia familiar, quando sua filha foi morta a tiros por criminosos no Dia dos Pais, quando ela estava na companhia do pai. Recentemente, Lagartixa publicou foto de um homem que, segundo ele, foi um dos envolvidos na morte da criança e que está em liberdade. O policial reformado ofereceu R$ 50 mil para quem tivesse informações que pudessem ajudar a identificar o paradeiro do homem.

Tribuna do Norte



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem