O número de pessoas empregadas no setor privado cresceu 14% no Rio Grande do Norte no 1º trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) e foram divulgados nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a pesquisa, entre janeiro e março deste ano, o RN teve 74 mil trabalhadores a mais na iniciativa privada.

Ao todo, a pesquisa apontou 610 mil trabalhadores no primeiro trimestre no setor privado, sendo 410 mil com carteira assinada e 200 mil sem carteira. Em 2021, no mesmo período, eram 536 mil trabalhadores.

Segundo o IBGE, também houve crescimento no número de empregadores em relação ao último trimestre de 2021: o aumento foi de 34%. A pesquisa mostra 17 mil empregadores a mais no estado.

No Brasil, tanto de empregados no setor privado (12,8%) quanto de empregadores (10,8%) também cresceram em comparação com o mesmo período de 2021.E no comparativo com o último trimestre de 2021, também houve crescimento de 5,7%.

Subocupados e desalentados caem 25%

O número de pessoas desalentadas caiu 25% no estado na comparação do primeiro trimestre deste ano com o de 2021. No ano passado, eram 191 mil. Neste ano, reduziu para 143 mil.

O número de pessoas subocupadas por insuficiência de horas também caiu 20,6%. Eram 188 mil e passou para 150 mil no primeiro trimestre deste ano.

Já a taxa de subutilização recuou de 39,7%, no primeiro trimestre de 2021, para 33% de janeiro a março deste ano.

Entenda

Desalentadas: São classificadas como desalentadas as pessoas que estão disponíveis para trabalhar, mas desistiram de procurar uma ocupação.

Subocupados: Nessa categoria, estão as pessoas com ocupação, mas que trabalham menos de 40 horas por semana e gostariam de trabalhar mais.

Subutilizados: A categoria de pessoas subutilizadas é um grande grupo formado principalmente por desocupados (desempregados), desalentados, subocupados por insuficiência de horas e outros grupos que não têm o seu potencial como trabalhador absorvido (em parte ou completamente) pelo mercado.

Taxa de desemprego

O Rio Grande do Norte apresentou uma taxa de 14,1% de desemprego no primeiro trimestre de 2022.

De acordo com com o IBGE, isso "significa que o estado não apresentou uma variação estatisticamente relevante em relação ao trimestre anterior".

No Brasil (11%), houve uma redução de 3,8% em relação ao primeiro trimestre de 2021.

A pesquisa aponta que dos 2,91 milhões de potiguares com 14 anos de idade ou mais, 1,34 milhão está ocupado. Isso significa que o nível de ocupação no Rio Grande do Norte é de 46,3%, uma estabilidade em relação ao trimestre anterior. Este indicador é a proporção de pessoas ocupadas em relação à população em idade laboral.

G1/RN



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem