A inflação de abril foi de 1,06%, a maior alta para o mês desde 1996. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou o índice de preços nesta 4ª feira (11.mai.2022). 

As projeções obtidas pelo Poder360 indicavam que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) teria alta de 0,92% a 1,20% em abril. A taxa registrada no mês é 0,56 ponto percentual abaixo de março, quando a inflação foi de 1,62%.

A inflação de abril foi puxada pelos preços dos alimentos, que subiram 2,06%, e dos transportes, com alta de 1,91%. Os combustíveis subiram 3,20%, com destaques para gasolina (+2,48%), etanol (+8,44%) e óleo diesel (+4,74%).

No acumulado de 12 meses, a inflação acelerou para 12,13%. Esse é o maior patamar desde outubro de 2003, quando chegou a 13,98%. O mercado estimava índice de 11,99% a 12,29% no mesmo período. No ano, a inflação foi de 4,29%.

INFLAÇÃO EM ABRIL

Dos 9 grupos pesquisados pelo IBGE, em 9 houve alta em abril. O maior destaque foi o de Alimentação e bebidas, que subiu 2,06% e teve impacto de 0,43 ponto percentual no índice. Houve encarecimento dos preços dos alimentos para consumo em domicílio (2,59%) e fora do domicílio (0,62%).

Já o grupo de Transportes subiu 1,91% no mês. A alta foi influenciada pelos preços dos combustíveis, que tiveram avançaram 3,20%. As passagens aéreas subiram 9,48%. Transporte por aplicativo encareceu 4,09%.

APOSENTADORIA E SALÁRIO MÍNIMO

O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) –que reajusta a aposentadoria e o salário mínimo– subiu 1,04% em abril, a maior taxa para o mês desde abril de 2003. No acumulado de 12 meses chegou a 12,47%, o maior percentual desde novembro de 2003 (+12,76%).

Poder 360


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem