O advogado Fábio Dantas (Solidariedade) foi o nome confirmado na terça-feira (19) para concorrer ao governo do Rio Grande do Norte nas eleições de outubro. Durante evento de apresentação da pré-candidatura, Fábio afirmou que a oposição estará unida em torno do projeto de recuperar o Estado.

“Teremos a maioria da oposição em todo o Estado, especialmente nos municípios, que é onde a vida brota, onde o sofrimento pela ausência estatal é mais presente. Nos municípios, teremos a grande parte desse sentimento refletido em apoios e na vontade popular de mudança, que converge para a nossa coragem de catalisar esse sentimento de libertação”, destacou.

Durante o evento no Hotel Holiday In, o partido Solidariedade conseguiu reunir o ministro das comunicações, Fábio Faria (PP); dezenas de prefeitos de várias agremiações; 10 deputados estaduais do PSDB, PSC, PL e do próprio Solidariedade; centenas de vereadores e lideranças de todas as regiões do Estado.

Para Fábio Dantas, a união se dá em torno de um projeto maior: tirar o PT do poder no Rio Grande do Norte. “Toda a oposição está no projeto de tirar esse desgoverno Fátima. Então, o sentimento de todos é o mesmo e vamos seguir juntos e crescer cada vez mais”.

O ministro e deputado federal Fábio Faria (PP) também falou e reforçou que a pré-candidatura de Fábio Dantas é um nome que agrega as forças de Oposição. “O que não podemos é ter mais quatro anos desse governo. Seriam 30 anos de atraso em oito”, apontou o ministro.

Rogério Marinho destacou a força da oposição e do projeto de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte.

Nomes importantes da política potiguar faltaram ao evento: Os prefeitos de Natal e Mossoró respectivamente Álvaro Dias (PSDB) e Allyson Bezerra (SD) e os principais líderes do chamado bolsonarismo raiz, o deputado federal General Girão (PL) e Coronel Azevedo (PL).

Nenhum deputado federal do União Brasil (Carla Dickson e Benes Loecádio) se fez presente além de seu presidente estadual, o ex-senador José Agripino Maia.

Outro nome que a oposição insististe em pôr no rol de aliados, mas que integra o governismo, a ter ausência registrada foi o prersidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira (PSDB).

A ausência da bancada federal foi justificada pela necessidade de votação presencial nominal em Brasília.

Com informações do Blog do BG e Blog do Barreto


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem