Uma semana após o assassinato de Eliel Ferreira, morto com pelo menos sete disparos no último sábado (09), em Mossoró, o principal suspeito continua foragido. O paradeiro desconhecido gera medo em familiares do advogado, que optaram por deixar a cidade, pelo menos até a prisão do homem.

De acordo com um parente da vítima, que preferiu não se identificar, em entrevista à TV Tropical, além do medo, a saída do município também é motivada por razões sentimentais.

“O receio existe, mas por precaução e também por não querer enfrentar o valor sentimental que a residência da família tem, as lembranças de momentos. Acho que tem que haver o receio. Afinal, o principal suspeito está foragido”, relatou.

Inicialmente, a Polícia Civil acreditava que Eliel tinha sido morto por ser confundido com um assaltante. No entanto, o depoimento do companheiro do advogado mudou os rumos da investigação. Segundo ele, o crime aconteceu por homofobia.

O familiar acredita na versão apresentada pelo namorado de Eliel. “Acreditamos sim, porque, infelizmente, a maldade está enorme. A não aceitação da pessoa ser “diferente”, ter gostos diferentes do que a sociedade julga como normal. Acreditamos sim que essa possa ser a motivação”, pontuou.

Ainda de acordo com o homem, a família está desolada com o crime. “É uma situação muito difícil. Um pai, uma mãe enterrar o filho é totalmente contra a ordem da vida. Ainda mais com a crueldade que foi a causa da morte. Está muito difícil”, lamentou.

De acordo com o relato do namorado, Ialamy Gonzaga, conhecido como ‘Júnior preto’, autor dos disparos e que segue procurado pela polícia, não agiu sozinho. A pessoa que segurou Eliel também teria participação na ação. Ainda segundo o companheiro, a intenção do atirador era matar os dois namorados.

Portal da Tropical



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem