O bilionário Elon Musk comprou o Twitter por US$ 44 bilhões e as ações da plataforma chegaram a subir 6,76% na 2ª feira (25.abr.2022).

O empresário dono da Tesla e da SpaceX vai pagar US$ 54,20. Às 16h23, os ativos tinham alta de 6,27%, aos R$ 52,00. O conselho do Twitter aprovou a compra. A operação deverá ser concluída ainda neste ano.

O conselho da big tech conversou com o bilionário sobre a sua última oferta, feita no começo de abril.

Na 5ª feira (21.abr), Musk assegurou um financiamento de US$ 46,5 bilhões para comprar o Twitter via oferta pública. A tentativa de aquisição traria instabilidade para toda a diretoria da empresa, visto que os acionistas poderiam vender suas ações diretamente à Musk, segundo informações do New York Times.

Na 6ª feira (15.abr), a rede social adotou um plano de direitos dos acionistas de duração limitada, conhecido como “pílula venenosa”. Ele é usado para impedir uma “aquisição hostil” por parte do bilionário.

Musk comprou 9,2% das ações do Twitter. Em seguida, foi anunciada sua nomeação para o conselho administrativo. No entanto, dias depois o bilionário desistiu de integrar a direção da big tech. Em 14 de abril, declarou sua intenção de comprar integralmente a empresa.

O financiamento ofertado por Musk seria proveniente de diversas fontes de investimentos. Segundo o documento divulgado à SEC (Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, na sigla em inglês), do novo investimento (US$ 46,5 bilhões):

  • US$ 13 bilhões são de financiamento do banco Morgan Stanley;
  • US$ 12,5 bilhões são de empréstimo das ações da Tesla; e
  • US$ 21 bilhões de investimento pessoal.

Ao fazer a oferta de compra da rede social, Musk enviou uma carta à presidência do Twitter. O dono da Tesla escreveu que a “liberdade de expressão é um imperativo social” e que a plataforma não “atenderá a esse imperativo social em sua forma atual”.

Poder 360



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem