“A disputa política faz parte do jogo democrático, por isso, reconhecemos os esforços de uma parte da oposição. Porém, está nítido que essa arrumação é um arranjo de última hora, que sequer consegue representar a oposição, mas a vontade de um partido político. Do desespero de um ex-ministro para montar um palanque para chamar de seu e tentar alcançar seus objetivos pessoais”, afirmou o presidente estadual do PCdoB, Divanilton Pereira, sobre a chapa de oposição encabeçada por Fábio Dantas (Solidariedade) e Rogério Marinho (PL).

Em entrevista exclusiva ao Agora RN, Divanilton afirmou que Dantas e Marinho “representam uma combinação perigosa para o RN, pois ambos defendem e praticam a gestão patrimonialista, restritiva e concentrada na continuidade dos interesses familiares”. “Esse modelo é uma das causas da falência administrativa, financeira e orçamentária herdada em 2018 pelo governo de Fátima Bezerra e Antenor Roberto. Portanto, o PCdoB realizará todos os esforços para que essa concepção seja afastada da administração pública potiguar. Inclusive, contra o ex-ministro, rondam ações judiciais pretéritas e presentes por malversação de recursos públicos, além de ter sido ‘eleito’ em 2018 como o maior inimigo dos direitos da classe trabalhadora”, destacou.

Ele afirmou não acreditar que os eleitores do RN apostarão na chapa da oposição e que, “sem nenhuma arrogância política, mas acho essa hipótese (deles serem eleitos) improvável. O povo – a parcela mais sofrida pelos descalabros de seguidas gestões estaduais, em particular a do ex-governador Robinson Faria – já consegue estabelecer as relações entre ambos e as suas respectivas responsabilidades pelo caos econômico e social que eles ajudaram a produzir até 2018”.

“Não adianta vir agora com a retórica manipuladora de dados ou ludibriar com verbas originárias do orçamento secreto, este, um dos maiores escândalos de corrupção do desgoverno Bolsonaro. Estou convicto que o povo potiguar não interromperá o ciclo desenvolvimentista do governo Fátima e Antenor”.

Divanilton disse, “mais do que a pessoa física do Fábio Dantas, ele representa hoje um esforço de uma parte dos segmentos conservadores do nosso Estado em retomar a gestão do governo estadual. Existe a legitimidade do querer, mas sem autoridade política para apresentar-se como o novo, pois representa exatamente o inverso: o passado e o politicamente esgotado”.

Falta de opção qualificada

O presidente estadual do PV, vereador de Natal Milklei Leite, ressaltou que a chapa é muito “estranha” porque, “primeiro, a oposição já vem batendo cabeça há muito tempo desde o momento que ficou lançando candidaturas fakes, com nomes que não tem e não tinham sido acordados, meramente para poder mostrar que tinha uma chapa oposicionista”.

E que, “agora escolhe um pré-candidato ex-comunista, que vem de um governo devastador que acabou com o RN, o qual Fábio Dantas era vice. O que ele traz de novo para o RN? Também é muito estranho ver um candidato ao Senado procurando um governador de qualquer forma, para não estar só. E, por último, escolhe um que o partido acaba de declarar apoio ao presidente Lula”, comentou.

“Vejo que, na verdade, é falta de opção qualificada. Tudo isso tem e vai favorecer ainda mais a reeleição da governadora em primeiro turno. O povo do RN não vai ser enganado”, finalizou.

Agora RN



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem