O plenário do Tribunal de Contas da União decidiu nesta segunda-feira (21/3) manter e aprofundar a análise sobre a atuação de Sergio Moro no escritório Alvarez & Marsall, que atuou para Odebercht e outras empresas alvo da Lava Jato, unificando dois processos sob a relatoria do ministro Bruno Dantas, com quem Moro vinha rivalizando. A decisão foi unânime dos ministros presentes na votação.

A área técnica do tribunal propunha o arquivamento do processo que estava sob relatoria de Aroldo Cedraz, e que analisava danos aos cofres da União. Cedraz concordava, mas, após divergência de Dantas, recuou. De maneira unânime, o plenário determinou que as duas investigações prossigam reunindo os dois processos e agora na relatoria de Bruno Dantas e com objeto ampliado.

Um único processo, agora relatado por Dantas, analisa se houve conflito de interesses e danos aos cofres da União.

Metrópoles


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem