Em solenidade no Salão dos Grandes Atos do Palácio da Resistência, o ministro Rogério Marinho anunciou, na sexta-feira, de 25 de março de 2022, a liberação de mais de R$ 40 milhões para a Prefeitura de Mossoró fazer uma rodovia interligando a BR 110 (trecho Mossoró/Areia Branca) a BR 304 (trecho saída para Fortaleza).

Na mesma solenidade, com a presença da classe empresarial, vereadores, deputados federais e estadual, o ministro Rogério Marinho, através da Codevasp, fez a doação de uma escavadeira mecânica e consolidou convênio no valor de R$ 3.828.065,00 para compra de máquinas e equipamentos de apoio ao homem do campo nas áreas de agricultura e pecuária.

Na região de Mossoró, existem várias obras federais que já deveriam ter sido executadas pela importância econômica e social, como por exemplo, a iluminação e as passarelas do complexo viário, a limpeza e a urbanização do leito do Rio Apodi-Mossoró, a duplicação da Av Francisco Mota (com estruturas de acesso a UFERSA, UERN e Conjunto Ving Rosado, assim como a BR 437 (Estrada do Cajueiro), a duplicação da BR 304, entre outros investimentos.

A construção de uma estrada, com ponte sob o rio Apodi-Mossoró, interligando as rodovias federais que cortam Mossoró, também estava na pauta do prefeito Allyson Bezerra e foi a escolhida pelo Governo Federal para financia-la. Cabe a Secretaria Municipal de Infraestrutura, que tem a frente o engenheiro Rodrigo Lima, fazer a licitação e conduzir a obra.

Entre os benefícios desta obra, está a retirada do fluxo de carretas pesadas, em especial transportando sal e pás e turbinas eólicas pela área urbana de Mossoró, para sair e chegar na região de Areia Branca, Porto do Mangue e Serra do Mel, desafogando, principalmente o fluxo de veículos pesados na Leste Oeste e na região da Cobal, área urbana de Mossoró.

“Será a maior obra de infraestrutura das últimas décadas da cidade. Hoje, nós asseguramos a maior obra de mobilidade urbana, infraestrutura do nosso município. Iremos fazer a ligação da BR-110, saída para Areia Branca, até a BR-304, saída para Fortaleza”, frisa o prefeito.

“Uma obra de mobilidade urbana que contará com estradas e ponte ligando as regiões Leste e Oeste da cidade. Vamos desafogar o trânsito de importantes avenidas do município com o anel viário que possibilitará o fluxo de veículos”, acrescentou Allyson Bezerra.

Representando o setor produtivo, o empresário Stenio Max destacou a importância desta obra para o desenvolvimento econômico da região e enalteceu o trabalho do prefeito Allyson Bezerra e também do ministro Rogério Marinho. Para ele, é uma parceria de trabalho que só quem vai ganhar é o cidadão mossoroenses.

O presidente da Câmara Lawrence Amorim, destacou que obras deste porte gera empregos e empregos tem sido sua bandeira de trabalho. Observa que além de centenas de empregos gerados na obra em si, permitirá que os empresários que atual no ramo do sal, do petróleo, da energia e outros setores, cresçam e gerem mais empregos.

O prefeito Allyson Bezerra, destacou que se trata de uma obra que a população de Mossoró pedi há pelo menos 40 anos, sem que fosse atendido pela municipalidade e que agora está com recursos empenhados para que este senho seja tornado realidade. Os trabalhos físicos devem começar ainda no primeiro semestre de 2022.

O ministro Rogério Marinho fez uma longa fala destacando os investimentos federais na região, não citou a duplicação da Av Francisco Mota, a BR do cajueiro, a duplicação da BR 304, complementação das obras de passarelas e iluminação do Complexo Viário, menos ainda sobre limpeza e urbanização do Rio Apodi/Mossoró, entre outras igualmente importantes para o desenvolvimento da região como a conclusão da Adutora de Santa Cruz.

O ministro se ateve a falar sobre investimentos federais na ordem de 1 bilhão para fazer a transposição para o Alto Oeste do Rio Grande do Norte e quanto de gente, na ótica dele, vai beneficiar de Pau dos Ferros à Mossoró. Lembrou da chegada água no Piranhas/Açu, não falou que este local já tem água, e citou diretamente as obras de Oiticica, que são tocadas pelo Governo do Estado com recurso federais.

Mossoró Hoje


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem