A Rússia disse que suas forças pararam de disparar perto de duas cidades ucranianas neste sábado para permitir a passagem segura de civis que fogem dos combates, mas continua sua ampla ofensiva na Ucrânia.

O Ministério da Defesa russo disse que suas unidades abriram corredores humanitários perto das cidades de Mariupol e Volnovakha, que foram cercadas por suas tropas, informou a agência de notícias russa RIA.

Em Mariupol, os cidadãos seriam autorizados a sair durante uma janela de cinco horas, segundo as autoridades da cidade.

Não houve confirmação imediata de que os disparos haviam parado e não estava claro se o cessar-fogo seria estendido a outras áreas, ou quanto tempo duraria, já que a invasão da Ucrânia pela Rússia entrou em seu décimo dia.

Agências de ajuda humanitária alertaram para um desastre humanitário que está se desenrolando à medida que alimentos, água e suprimentos médicos se esgotam e os refugiados afluem para o oeste da Ucrânia e países europeus vizinhos.

O Ministério da Defesa russo disse que uma ampla ofensiva continuaria na Ucrânia, disse a RIA.

Um negociador ucraniano disse na quinta-feira que uma segunda rodada de negociações de cessar-fogo com a Rússia não produziu os resultados que Kiev esperava, mas ambos os lados chegaram a um entendimento sobre a criação de corredores humanitários. Mykhailo Podolyak disse que os dois lados prevêem um possível cessar-fogo temporário em algumas áreas para permitir a evacuação de cidadãos.

Na cidade portuária de Mariupol, no sudeste do país - um prêmio importante - não há água, calor ou eletricidade e os alimentos estão acabando, segundo o prefeito Vadym Boychenko.

"Estamos simplesmente sendo destruídos", disse ele.

O serviço estatal de comunicações especiais e proteção de informações da Ucrânia diz que as forças russas concentraram esforços em cercar Kiev e Kharkiv, a segunda maior cidade, enquanto pretendem estabelecer uma ponte terrestre para a Crimeia.

Kiev, no caminho de uma coluna blindada russa que está parada nos arredores da capital ucraniana há dias, foi novamente atacada, com explosões audíveis do centro da cidade.

O meio de comunicação ucraniano Suspilne citou autoridades em Sumy, cerca de 300 quilômetros a leste de Kiev, dizendo que há risco de confrontos nas ruas da cidade, pedindo aos moradores que fiquem em abrigos.

Reuters



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem