A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a apreensão e proibição da fabricação, importação, comércio, distribuição, propaganda e uso de autoteste da Covid-19 falsificados.

O produto é uma imitação do primeiro autoteste aprovado no país, o Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno.

A agência alerta que o produto falsificado não traz nenhuma garantia de funcionamento ou de segurança para o consumidor — que pode ter o resultado para Covid-19 alterado. Em nota, a Anvisa informa quais características o consumidor deve levar em conta na hora da compra do autoteste para identificar o produto original.

Segundo o órgão regulador, além de ser irregular, a comercialização de produtos falsificados pode contribuir com a ocorrência de crimes contra a saúde pública.

Confira o que levar em consideração na compra dos autotestes

O produto falsificado possui as seguintes características:

  • Presença de guia ilustrado explicando como realizar a execução do teste no verso da embalagem. O produto original não possui guia ilustrado;
  • Número de registro diferente do aprovado, o número do registro do produto original registrado na Anvisa é 80859840213;
  • Tampa de rosca sem orifício para gotejamento, o original possui uma tampa com orifício para gotejamento;
  • Swab cotonete maior do que 9cm, o swab cotonete do produto original possui 9cm.

Outra segurança para o consumidor, é que a Anvisa disponibiliza um portal com farmácias credenciadas.

A nota da Anvisa também alerta para sites que vendem produtos sem autorização. Segundoa agência, a venda de autotestes para Covid-19 por meio de redes sociais e plataformas virtuais de e-commerce é considerada irregular.

CNN Brasil



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem