O governo da Ucrânia diz que o país foi atingido por uma nova onda de mísseis russos na manhã desta 5ª feira (24.fev.2022). A informação é da agência Reuters.

Um correspondente da agência de notícias que está na capital Kiev disse ter ouvido várias explosões por volta das 12h (7h em Brasília). Um funcionário do Ministério do Interior da Ucrânia informou que centros de comando em diversas cidades, incluindo na capital, foram atingidos pelos mísseis.

A 1ª onda de mísseis russos foi disparada na madrugada desta 5ª feira (24.fev.2022), também de acordo com autoridades da Ucrânia. A informação foi divulgada pouco depois de o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciar uma “operação militar especial” no país vizinho.

Depois de divulgados os primeiros bombardeios, houve relatos de explosões em Kiev e nas cidades de Kharkiv, Dnipro e Odessa. De acordo com a Reuters, tropas russas foram vistas cruzando a fronteira ucraniana nas regiões de Chernihiv, Kharkiv e Luhansk.

Pelo menos 8 pessoas morreram e 9 ficaram feridas em consequência de bombardeios russos. A informação foi divulgada à agência de notícias por um assessor do ministro ucraniano de Assuntos Internos, Roman Mikulec.

Pouco depois, forças ucranianas disseram à AFP que mataram cerca de 50 “ocupantes russos” enquanto retomavam o controle da cidade de Shchastya, na linha de frente oriental. Até o momento, a informação não foi confirmada por autoridades russas.

Além da fronteira, tropas russas estão invadindo o território da Ucrânia também a partir da Bielorrússia e da Crimeia. As autoridades fronteiriças ucranianas relataram que soldados bielorrussos integram tropas russas.

As informações sobre os primeiros ataques foram confirmadas pelo ministro das Relações Exteriores ucraniano, Dmytro Kuleba, e, pouco depois, pelo vice-ministro do Interior ucraniano, Anton Gerashchenko.

Já o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, disse que as forças do país estão usando “armas de alta precisão” e que os bombardeios têm como alvos instalações e equipamentos dos militares ucranianos. Não especificou quais são essas armas.

Em pronunciamento na televisão russa pouco antes de iniciarem os ataques, Putin afirmou que a ação militar tem o objetivo de proteger a população das províncias de Donetsk e Luhansk, situadas na região fronteiriça de Donbass. Avisou que confrontos entre forças russas e ucranianas eram “inevitáveis”.

Um dos alvos dos bombardeios, segundo reportou o Guardian, foi o aeroporto de Vasilkovsky, que fica perto de Kiev. O terminal abriga aviões de guerra das forças ucranianas. Também houve explosões em área próxima ao aeroporto de Chuguev, cidade que fica a cerca de 100 km da fronteira com a Rússia.

Poder 360



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem