O momento da pandemia no Rio Grande do Norte, com alta de casos e aumento de mortes em janeiro em relação a dezembro, faz com que o Estado registre a maior taxa de transmissibilidade em toda a pandemia. O índice, segundo dados do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN (LAIS/UFRN) é de 1,96.

“Não temos tido tantos óbitos quanto o número de casos. Temos uma baixa letalidade graças a vacinação. Temos uma letalidade abaixo de 0,5 e isso é muito bom, mas precisamos ainda avançar na vacinação, porque ainda temos visto número de óbitos em idosos e sem esquema completo de vacinação, incluindo a D3”, analisa Diana Rêgo.

O aumento nos casos de covid 19 fez com que o Governo do Rio Grande do Norte passasse a exigir o passaporte vacinal para ingresso em shoppings, bares e restaurantes fechados, visando o aumento da vacinação. Além disso, carnavais de vários municípios do Estado, como Natal, Parnamirim, Macau e Caicó, foram cancelados em razão do aumento de casos e da variante Ômicron.

Profissionais afastados

O aumento de casos de covid 19 e o surto de gripe com o novo vírus da Influenza (H3N3) em todo o Estado provocou afastamentos de profissionais de saúde na rede pública do Rio Grande do Norte em janeiro. No último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública, consolidado até o dia 12 de janeiro, foram 180 licenças médicas temporárias concedidas.

Números

Casos em janeiro: 38.644

Óbitos em janeiro: 134

Casos em dezembro: 5.499

Óbitos em dezembro: 75

Tribuna do Norte



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem