Por Cesar Alves / Mossoró Hoje

Um fator passou despercebido durante a visita do presidente Jair Messias Bolsonaro e seus ministros ao Rio Grande do Norte, em especial na região Seridó, onde o presidente ficou hospedado por um dia na cidade de Caicó e passou pelas ruas.

Bolsonaro e o ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, no dia seguinte visitaram a Construção da Barragem de Oiticica, que é tocada pelo Governo do Estado com recursos federais no território do Município de Jucurutu-RN.

Criticaram durante o governo do Estado por ainda não ter concluído a obra. Disseram que o Governo do Estado estava usando 12 famílias na comunidade de Carnaúba Torta para não concluir o paredão. De fato, as famílias estão sendo transferidas.

Ainda na agenda do presidente na região Seridó, eles foram a cidade de Jardim de Piranhas, onde havia um palco montado para discursos políticos comemorando a chegada das águas do rio São Francisco a Bacia Hidrográfica Piranhas/Açu, que de fato não havia chegado. O presidente plantou uma árvore as margens do Rio Piranhas/Açu e usou água de um carro pipa para, simbolicamente, comemorar a chegada das águas do Velho Chico ao RN.

Ocorre que o presidente Bolsonaro e Rogério Marinho poderiam ter visitado e não o fizeram, as obras de recuperação da Barragem das Traíras, que fica na mesma região, bem próximo de onde estiveram. Esta barragem estava se rompendo e o então ministro Rogério Marinho assumiu as obras, prometendo concluir o trabalho até dezembro de 2020.

Entretanto, passados 1 ano e 6 meses, as obras continua por ser realizadas. Inclusive, atualmente, os trabalhos estão paralisados. Em contato com a imprensa do Seridó, a empresa contratada pelo Governo Federal para tocar a obra, disse que parou a obra porque havia muitos servidores com covid19 e que nos próximos dias está retomando o trabalho.

Quem não gostou nem um pouco da falta de cortesia do presidente Bolsonaro e seu ministro Rogério Marinho foi Engenheiro Agrônomo José Procópio de Lucena, que é membro da diretoria colegiado do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piancó-Piranhas-Açu.

Eis o que escreveu

O Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, acompanhado do Diretor-Geral do DNOCS, Fernando Leão, visitaram a barragem das Traías e o ministro anunciou publicamente que o DNOCS com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), assumiam os serviços de manutenção, modernização e recuperação da barragem das Traíras e que até dezembro/2020 as obras seriam realizadas. Neste ato o ministro anunciou o rompimento do convenio DNOCS com o governo do Estado/SEMARH e assumiu a responsabilidade de execução do projete de recuperação, modernização e recuperação da barragem das Traíras. O governo do Estado repassou o projeto elaborado para o MDR/DNOCS executar as obras.

Passados um ano e seis meses deste episódio e se aproximando a quadra chuvosa 2022, que promete ser um inverno normal, a barragem das Traíras está com suas obras paralisadas ! Diante da ausência de informações sobre um cronograma físico-financeiro por parte do MDR/DNOCS para conclusão da recuperação da barragem das Traíras é necessário que o ministério pública federal seja provocado para as devidas providências!

O presidente Bolsonaro e o ministro Rogério Marinho estiveram essa semana no Seridó e estranhamente fugiram de visitar a barragem das traíras uma obra de sua responsabilidade e foram agredir famílias pobres da vila Carnaúba Torta na Barragem de Oiticica uma obra de responsabilidade do governo do estado!!

É incompetência ou falta de vontade política do governo federal em 01 ano e seis meses não ter concluído a Barragem das traíras, uma obra exclusivamente de natureza física e sem questões de ordem social como indenizações! Com esse ritmo comparado com as obras do complexo barragem de Oiticica passariam 15 anos para sem concluídas!

O Governo federal, através do ministro Rogério Marinho precisa explicar as razões da paralisação das obras da Barragem das traíras e porque tanto tempo pra concluir essa empreendimento hídrico para o povo do Seridó!

Engenheiro Agrônomo José Procópio de Lucena/ membro da diretoria colegiado do Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Piancó-Piranhas-Açu!


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem