Vacinação está prevista para o final do mês de março

Após um início de ano com aumento expressivo dos casos de influenza no Rio Grande do Norte, o mais recente boletim epidemiológico de vírus respiratórios, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), aponta uma tendência de queda no número de casos.

De acordo com o boletim, historicamente, há uma maior ocorrência de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) entre os meses de março a junho, devido a sazonalidade do vírus da influenza. Com a pandemia do SARS-CoV-2, observa-se que os casos de SRAG em 2021 tiveram incremento entre os meses de março a julho. Em relação às faixas etárias, há o predomínio de SRAG em menores de 2 anos, assim como a partir dos 54 anos, no ano de 2022. 

Os casos de Influenza foram detectados desde o final do ano passado, como ocorreu em todo o país. O progressivo aumento de casos de SRAG por influenza ao final do ano de 2021 e início de 2022, com pico na Semana Epidemiológica 01, foi seguido de redução de casos notificados.

A análise atual do banco de dados do SIVEP-Gripe (sistema de monitoramento do Ministério da Saúde) mostra 1.367 registros de Síndrome Respiratória Aguda Grave de residentes no estado do RN em 2022, sendo a maioria dos casos por Covid-19, com 314 casos evoluindo para óbito pela doença e 12 óbitos por influenza, até 17 de fevereiro de 2022.

Além dos doze óbitos por influenza com início dos sintomas em 2022, acrescenta-se outros seis óbitos do banco de dados 2021, dos quais 5 faleceram em 2022, totalizando 18 óbitos por influenza desde dezembro de 2021. Deste total, apenas três tem confirmação da vacina contra a influenza na campanha de 2021.

"No ano de 2022 percebemos a mudança do período de sazonalidade com relação à influenza e a campanha será antecipada para o mês de março. O público prioritário será de crianças, idosos e pessoas vulneráveis que possam garantir a aplicação das doses e assim conseguir uma ampla proteção no Estado. O número de óbitos da influenza acende o alerta para a importância da vacinação", disse Kelly Lima, coordenadora de Vigilância em Saúde da SESAP. 

Na campanha de 2021, o Rio Grande do Norte alcançou a marca de 85% da população vacinada contra a Influenza e o Ministério preconiza a marca de 95% e a expectativa é atingir essa meta em 2022. 

Exames LACEN

O Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (LACEN-RN) é a referência estadual para análise das amostras em um painel viral, a partir do qual são verificados os vírus respiratórios circulantes em nosso Estado. Dos 791 exames realizados pelo LACEN, dos quais 176 foram detectáveis, todos confirmaram para Influenza A. Desses casos detectáveis, 160 foram subtipados como H3N2, até o momento.

A notificação dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) deve ocorrer com a presença de pelo menos um dos seguintes sintomas: Dispneia (dificuldade para respirar), saturação de oxigênio menor que 95% ou desconforto respiratório; Pressão ou dor persistente no tórax; e coloração azulada (cianose) dos lábios ou rosto.




Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem