Um desmoronamento na obra da linha 6 do Metrô de São Paulo abriu uma cratera na Marginal Tietê. O desabamento aconteceu na manhã desta 3ª feira (1º.fev.2021) e interditou a marginal.

O motivo para o desmoronamento ainda não foi divulgado, mas a cidade enfrenta fortes chuvas desde a 6ª feira (28.jan.2022) e as perfurações do túnel da linha começaram em dezembro. A área ainda não está segura, com terra ainda caindo na cratera.

Além disso, água do Rio Tietê está infiltrando a obra. Ninguém ficou ferido. Motoristas da cidade divulgam pelas redes sociais mensagens avisando aos outros para evitar a área.

A Linha 6 Laranja do Metrô é construída em parceria com o Estado de São Paulo e a empresa Acciona. A obra começou em 2015 e foi paralisada em 2016, depois de problemas com o contrato do consórcio Move São Paulo. Foi retomada em outubro de 2020, com a Acciona, e tem previsão de entrega em 2025.

As perfurações do túnel da linha começaram em dezembro de 2021. O governador João Doria (PSDB) esteve presente na obra. A estação terá 15 km de extensão e 15 estações, ligando o bairro da Brasilândia, na zona norte, com a estação São Joaquim, no centro. O investimento previsto é de R$ 15 bilhões.

“Essa obra foi um desafio. Quando assumimos o Governo, tínhamos 30 grandes obras paradas no estado. Encontramos uma solução jurídica e o resultado está aqui. Quando se quer, resumimos todas as dificuldades a uma expressão: vamos fazer!”, disse Doria na época.

ACIDENTE DE 2007

Um acidente nas obras da linha 4 amarela do Metrô também abriu uma cratera em uma via de São Paulo. Na época, 7 pessoas morreram com o desmoronamento na obra.

A cratera aberta tinha cerca de 80 metros de diâmetro. O acidente foi nas margens da Marginal Pinheiros, importante via da Zona Oeste de São Paulo. A obra era da estação Pinheiros. Diferente desta vez, pessoas que estavam próximas à obra, incluindo um micro-ônibus e pedestres, foram soterrados.

Poder 360


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem