Companhia aproveita elevação do nível da barragem Oiticica para reativar sistema com maior capacidade de captação e distribuição de água

Um dia depois de a Barragem Oititica ter atingindo a capacidade máxima de 15 milhões de metros cúbicos, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) reativou o sistema principal para restabelecer o abastecimento pleno de Jucurutu, município do Vale do Açu de 18 mil habitantes, dos quais 10,9 mil residentes na área urbana.

Nas primeiras horas da manhã de sábado (08), o sistema emergencial de sifões montado no ano passado foi substituído pelo principal, projetado para captar 140 mil litros/hora, que é a capacidade de operação da Estação de Tratamento.

"Isso não só ajusta a situação de Jucurutu, como dá uma folga grande à Serra de Santana. E Laginhas (distrito de Caicó) volta a ter água com mais frequência", disse o presidente da Caern, Roberto Sérgio Linhares. 

Antes, a água da adutora Serra de Santana era compartilhada pelas três localidades. De acordo com técnicos da Caern, no máximo em 72 horas a água deve chegar a todos os bairros de Jucurutu. A cidade tem 5.267 ligações de água encanada. "É uma notícia maravilhosa, uma bênção de Deus!", comemorou Linhares.

Segurança hídrica

A barragem está praticamente pronta, mas somente será concluída quando todos os moradores das áreas inundáveis forem removidos para locais seguros. Tendo a transposição como garantia de abastecimento, Oiticica vai transformar o Seridó na primeira região do Semiárido a conquistar 100% de segurança hídrica. Quando estiver concluída, terá capacidade para 590 milhões de metros cúbicos. Será o terceiro maior reservatório do Rio Grande do Norte. O projeto foi dimensionado para atender à demanda pelos próximos 50 anos.

As obras do Complexo Oiticica foram iniciadas em junho de 2013, no governo da então presidenta Dilma Rousseff. O Governo do Estado planeja tranferir os moradores da antiga para a Nova Barra de Santana no primeiro semestre deste ano. Pequenos proprietários de terra e trabalhadores rurais serão reassentados em agrovilas, onde terão casa e uma gleba de terra para o sustento da família.

"A barragem representa a redenção hídrica do Seridó. Ela é fundamental para o abastecimento de dezenas de cidades, além de trazer benefícios sociais e econômicos para cerca de 800 mil pessoas. É uma luta de décadas da qual me orgulho de ter participado", disse a governadora Fátima Bezerra ao comemorar, na sexta-feira (07) a "sangria" da barragem.

"Olhem que coisa linda e emocionante a nossa barragem de Oiticica transbordando na cota de 92,5 metros! Está acumulando 15 milhões de metros cúbicos de água no coração do Seridó! Água é vida, viva o Seridó potiguar!", saudou a governadora Fátima Bezerra em postagens nas redes sociais.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem