Banner 1

 

O Governo do Rio Grande do Norte iniciou na quarta-feira (11), dia do Estudante, o Plano de Desenvolvimento da Pós-Graduação do RN. Executado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do RN (Fapern), o plano encerra o período de nove anos sem as gestões estaduais anteriores firmarem convênios com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - fundação vinculada ao Ministério da Educação que atua na expansão e consolidação da pós-graduação em todos os estados brasileiros.

"Esta é mais uma data que vai ficar marcada na educação do nosso Estado. Estamos efetivando o maior programa de incentivo à pós-graduação da história do estado”, afirmou a governadora, professora Fátima Bezerra. Ela acrescentou que "com imensa alegria iniciamos a execução deste programa que é resultado do trabalho incansável e competente que nossa equipe de governo realiza. Estamos dando mais um passo para o fortalecimento da ciência, da pesquisa e da inovação. Ressalto, também, o trabalho louvável do professor Gilton Sampaio à frente da Fapern. A Fundação de Amparo à Pesquisa do RN passou 9 anos sem conveniar com a Capes. Não podemos admitir o estado ser ineficiente e incompetente. Somos gratos ao trabalho da equipe Fapern que agora está de pé e promovendo a pesquisa, ciência e inovação".

O investimento é de R$ 4 milhões em 28 programas de pós-graduação. Do valor total, R$ 2,5 milhões são via bolsas da CAPES e R$ 1,46 milhão em contrapartida do Estado, via FAPERN. Vai atender 850 alunos de mestrado, 243 de doutorado e 06 de pós-doutorado, somando 1.099 beneficiários. Os recursos contemplam programas de pós-graduação do IFRN, UERN, UFERSA e UFRN em todas as regiões do estado. Para mensurar o alcance do PDPG-FAPERN, tomando a Universidade Estadual do RN como exemplo, em 2021, a UERN conta com 786 docentes efetivos, dos quais 293 têm mestrado (37,2%) e 427 têm doutorado (54,3%). O PDPG-FAPERN inicia de imediato e sua implementação será concluída em 2024.

O professor Gilton Sampaio disse que o trabalho de recuperação do convênio com a Capes exigiu muita dedicação e vários deslocamentos a Brasília para entendimentos junto ao Ministério da Educação. "Conseguimos inclusive incluir temáticas regionais para os programas que irão impactar favoravelmente o desenvolvimento econômico", afirmou. "O Governo do Estado pensa no desenvolvimento científico e tecnológico com inovação. Este programa fortalece as ações do dia a dia e mantém o pós-graduando, que poderá ter mais tempo para sua pesquisa. O investimento também desenvolve o estado pela qualificação profissional que proporciona”. 

“As ações do governo da professora Fátima Bezerra dão resultados positivos", declarou a professora da UERN, Losangela Martins, coordenadora do programa de pós-graduação em planejamento e dinâmicas territoriais no semiárido (PLANDITES) em Pau dos Ferros.  Diretor da Associação Nacional de Pós-graduação (ANPG), o aluno José Germano avaliou o plano como "iniciativa de muito significativa para nós. Teremos suporte para publicar artigos, pesquisas, atividades de campo, participar de congressos. A Fapern era um armário cheio teias de aranha. Hoje é atuante e exerce o seu papel. Só temos a agradecer".

Para o reitor do Instituto Federal de Educação Tecnológica do RN (IFRN), Arnóbio de Araújo Filho, "é inadmissível pensar que ciência é supérflua e que investir em educação é desnecessário. Ciência, ensino, pesquisa e inovação são fundamentais para a sociedade, para a juventude e para o desenvolvimento do Estado. O trabalho é esse mesmo que constatamos no governo do nosso estado, com muito diálogo para construir uma sociedade mais justa e igualitária". Graduanda em História, na UFRN, a vereadora em Natal, Brisa Bracchi, disse que o governo do estado investe em todos os níveis da educação e atende quem mais precisa. 

No ato de efetivação do programa a governadora ainda afirmou: "Passa um filme na minha cabeça, lembro quando cheguei a Natal para estudar. Primeiro na escola Padre Monte, depois na Padre Miguelinho e Pedagogia na UFRN. Como estudante, professora e parlamentar, sempre estive na luta pela educação, no combate ao obscurantismo. Hoje, no Dia do Estudante, meu coração está feliz por que estamos realizando ações práticas, dando oportunidade aos nossos estudantes de se qualificarem. Tiramos a Fapern da estagnação. E ela estagnou por que alguém deixou de cuidar".


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem