Banner 1

 

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmou na 4ª feira (18.ago.2021) que é contra a obrigatoriedade do uso de máscaras e defendeu a retomada das aulas presenciais. Para ele, o uso deve partir da conscientização de cada pessoa.

A declaração foi feita em entrevista ao Terça Livre, canal investigado por disseminar fake news.

“Primeiro, nós somos contra essa obrigatoriedade [do uso de máscaras]. O Brasil tem muitas leis, e as pessoas, infelizmente, não observam. O uso de máscaras tem de ser um ato de conscientização. O beneficio é de todos e o compromisso é de cada um”, afirmou Queiroga.

O ministro disse ainda que “não tem sentido” a aplicação de multa pelo não uso da proteção facial. Para ele, “não se pode criar uma ‘indústria de multa’”. “Se está precisando fazer isso, é porque nós então não estamos sendo eficientes em conscientizar a população”, afirmou.

Médico, Queiroga está no comando do Ministério da Saúde desde 23 de março. Antes de assumir o cargo, afirmou que sob seu comando, a pasta iria executar a política definida pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, que é contra o uso obrigatório de máscaras e já compareceu em público diversas vezes sem a proteção contra o coronavírus. O chefe do Executivo contrariou, inclusive, regras de Estados e municípios, que obrigam o uso de máscaras.

Sob comando de Queiroga, a pasta chegou a fazer campanha com o incentivo do uso de máscaras e fazer publicações de conscientização, porém, de modo tímido. Mas no Twitter, por exemplo, a última publicação do ministério mencionando a necessidade de uso de máscara foi em 4 de agosto, ao falar sobre a volta de aulas presenciais.

A penúltima vez foi em 26 de julho, ao recomendar medidas a pessoas que já receberam a 2ª dose da vacina.

Em 10 de junho, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que Queiroga iria “ultimar parecer visando a desobrigar o uso de máscara por aqueles que estejam vacinados ou por aqueles que já foram contaminados”. A medida, no entanto, não foi adotada.

Em 11 de agosto, o ministro afirmou que a obrigatoriedade do uso de máscaras deve acabar no fim do ano. Segundo ele, a medida será possível porque toda a população estará vacinada contra covid.

“Eu garanto a vocês, em nome do presidente Jair Bolsonaro, que até o final do ano toda a população brasileira estará vacinada contra a covid-19”, afirmou. “Poremos fim ao caráter pandêmico desta doença, para tirar de uma vez por todas essas máscaras. E desmascarar aqueles que mesmo que nunca tenham usado máscaras precisam ser desmascarados, para que as políticas públicas possam ser de todos os brasileiros”.

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem