Banner 1

 


Em pronunciamento na Câmara Municipal de Mossoró, hoje (27), a presidente da Casa, Izabel Montenegro (MDB), disse não precisar de mandato para servir ao povo. “Continuarei na vida pública”, assegura, ao comentar a retirada da candidatura à reeleição por questão jurídica.

A vereadora é condenada em 2ª instância a dois anos em regime aberto por envolvimento em crimes investigados pela Operação Sal Grosso e está enquadrada pela Lei da Ficha Limpa.

Por esse motivo, TRE/RN (O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte) manteve a decisão de primeira instância que indeferiu o registro de sua candidatura por 7x 0.

Leia Mais

Inelegível, Presidente da CMM Izabel Montenegro retira candidatura à reeleição

Izabel reafirma a substituição do seu nome à Câmara, e garante permanecer servindo à Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC), Instituto Amatino Câmara e outras causas públicas.

Sobre o problema jurídico, que provocou indeferimento da candidatura à reeleição, Izabel disse ser vítima de gestão “desastrosa, desonesta e temerária na Câmara entre 2005 a 2008, que prejudicou todos os vereadores daquela legislatura”.

Na opinião de Izabel, o gestor da época deveria ser o responsabilizado, e não os demais parlamentares. “Mas, saio às ruas de cabeça erguida, vamos provar a inocência e mostrar quem realmente desviou dinheiro público”, garante.

A parlamentar afirmou ainda que na política só conjugou o verbo perder. "Encolhi patrimônio e moro no mesmo endereço há 35 anos. Nunca fiz da política meio de enriquecimento e de perseguição”, frisou, ao reforçar fazer política por amor, sempre fiel à mesma bandeira (MDB).

Acrescentou ter orgulho da sua gestão como presidente da Câmara (2017-2020). “Deixaremos um legado. O Legislativo hoje é informatizado, conquistou a maior reforma em 27 anos, tem outra cara. Pegamos a Câmara endividada e a deixaremos sem débitos”, avaliou.

Por fim, reafirmou continuar trabalhando a favor de Mossoró, “de quem precisa de mim e, se Deus quiser, por uma pessoa do meu coração. Não é discurso de despedida, mas de desabafo pelos recentes momentos difíceis, de indefinição. Obrigada pelas manifestações de apoio”, concluiu.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem