Banner 1

 


O Pix, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, já é usado por 71% dos brasileiros. Sua aprovação cresceu 9 pontos, passando de 76% para 85% em 12 meses. Estes dados são da quarta edição da pesquisa Radar Febraban, realizada pelo Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) para a Federação Brasileira de Bancos.

O número de transações realizadas via Pix em 1 dia bateu recorde no dia 20 de dezembro deste ano, último dia para o pagamento da 2ª parcela do 13º salário. Segundo dados do BC (Banco Central), foram realizadas 51,9 milhões de transferências e pagamentos pela plataforma. O recorde anterior foi de 50,3 milhões de transações, batido no dia 10 de dezembro.

Entre os jovens (18 a 24 anos), a aprovação chega a 99%, semelhante à faixa etária seguinte (25 a 44 anos), com 96%. Já entre os que têm mais de 60 anos, o percentual de aprovação cai para 65%.

O menor percentual de uso do Pix está entre pessoas de baixa renda e os de menor escolaridade. Dos que têm até a escolaridade fundamental, 53% utilizam o Pix, enquanto no grupo de pessoas com renda de até 2 salários mínimos, a taxa de adesão ao sistema do BC é de 64%.

O levantamento foi realizado no período de 19 a 27 de novembro, com 3 mil entrevistados em todas as 5 regiões do País.

SEGURANÇA

Para 32%, o sistema dos bancos é mais seguro do que o oferecido por fintechs. Já outros 32% destacam que o sistema é igualmente seguro nos 2 tipos de instituições.

Já a confiança nos bancos caiu de 60% em setembro para 58% no levantamento atual. A confiança nas fintechs também reduziu, indo de 59% para 56%. Quanto às empresas privadas em geral, a confiança manteve-se em 54%.

A pesquisa mostra também que o número de entrevistados que já foram vítimas de golpes ou tentativas de fraude manteve-se estável no comparativo entre o levantamento de setembro (21%) e o atual (22%). Já entre os mais velhos, acima de 60 anos, esse percentual sobe para 30%.

Poder 360



Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem