Banner 1

 


Recursos que deveriam ter sido gastos em prevenção contra a covid-19 foram usados para a compra de filé mignon e picanha. É o que revela a jornalista Constança Rezende, em reportagem publicada nesta segunda-feira pela Folha de S. Paulo. "O Ministério da Defesa gastou recursos destinados ao enfrentamento da Covid-19 para a compra de filé mignon e picanha. A constatação é de uma auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União). Segundo informações do levantamento sigiloso feito pela Selog (Secretaria de Controle Externo de Aquisições Logísticas) obtido pela Folha, foram usados R$ 535 mil em itens considerados de luxo", escreve a jornalista.

"A auditoria foi aberta para investigar supostas irregularidades na aquisição de gêneros alimentícios desde 2017. Chamaram a atenção dos técnicos os gastos das Forças Armadas durante a pandemia em 2020. A análise foi autorizada pelo ministro Walton Alencar Rodrigues, relator do caso na corte. Os auditores esperavam que, como consequência do regime telepresencial de trabalho, houvesse redução de gastos com alimentação. Não foi o que ocorreu com o Ministério da Defesa, que, ao contrário dos Ministérios da Educação e da Saúde, aumentou essas despesas", prossegue.

Enquanto isso, a fome bate recordes no Brasil e o consumo de carne per capita pelos brasileiros é o menor em décadas, o que explica a impopularidade de Jair Bolsonaro e seu governo.

Brasil 247


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem