Banner 1

 


A estátua do Touro de Ouro, instalada em frente à B3 (Bolsa de Valores) de São Paulo, foi removida na noite de 3ª feira (23.nov.2021). Com 5,10 metros de comprimento, 3 metros de altura e 2 metros de largura, o monumento foi retirada por um grupo de pessoas e colocada em um caminhão por um guindaste.

Mais cedo, a CPPU (Comissão de Proteção à Paisagem Urbana) decidiu que a estátua deveria ser removida pela falta de licença urbanística, que deveria ser concedida pelo órgão. De acordo com a CPPU, a instalação violava os artigos 39 e 40 da Lei Cidade Limpa.

Assista ao momento da remoção: 

O touro é uma referência à estátua do touro de bronze da Wall Street, em Nova York. Foi inaugurado em 16 de novembro. Segundo o presidente da bolsa brasileira, Gilson Finkelsztain, o monumento simboliza “força e resiliência” do povo brasileiro.

O touro de ouro foi desenhado pelo artista plástico e arquiteto Rafael Brancatelli. É feito de estrutura metálica tubular com multicamadas de fibra de vidro de alta densidade e foi tingido com uma pintura anticorrosiva. 

ALVO DE MANIFESTAÇÕES

A estátua do touro de ouro foi alvo de 2 protestos. Na semana passada, ato organizado pelo “Movimento Juntos” pichou a mensagem “taxar os ricos”. Em nota, o grupo falou sobre a campanha “Nem a fome, nem os bilionários deveriam existir: taxar os ricos para combater a crise”.

Na 4ª feira (17.nov), os movimentos “Juventude Fogo no Pavio e Movimento Raiz da Liberdade” colocaram cartazes no touro com a palavra “fome”. Segundo os grupos, o que para a bolsa “simboliza a força do mercado financeiro”, para eles, “é um símbolo da fome, da miséria e da superexploração do trabalho”.

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem